A história da criação de papel higiênico: folhas de milho, raspadores de madeira e outros dispositivos

O papel higiênico é uma das conquistas mais importantes da civilização. É impossível imaginar a nossa vida sem ela. Usamos todos os dias, é uma parte importante de nossas regras de higiene, sua ausência em casa é um verdadeiro desastre. É difícil imaginar que, uma vez que não havia papel higiênico, as pessoas fossem obrigadas a usar qualquer coisa.

Raspadores de madeira ou pedras na Grécia antiga

Na Grécia antiga, a higiene era realizada com raspadores de madeira ou pedras especiais. Os romanos usavam para o mesmo propósito um pano enrolado em um palito e embebido em água salgada. Além disso, em Roma havia um grande número de banheiros públicos, onde um grande número de pessoas usava os mesmos palitos. Isso hábito tornova a higiene questionável.

Papel perfumado para imperadores chineses

Um dos primeiros lugares a usar papel higiênico foi a China. A menção dessa fato refere-se ao ano 589. Apesar de não ser difundida em toda a China, o uso do papel higiênico era um item usual no palácio imperial. Além disso, o papel utilizado era diferente. Os mortais comuns usavam papel comum, e o imperador e sua comitiva, utilizavam os papeis mais macios. Assim, já no século VI, o imperador da China tinha à sua disposição papel higiênico perfumado de várias camadas.

Europa sem higiene sanitária

A Europa, mergulhada na Idade Média, guerras sem fim, uma epidemia de peste e outros infortúnios, pouco se importava com a higiene quando se tratava de sobrevivência. Uma rede esgoto rudimentar havia apenas em castelos, onde os reis tinham um banheiro, do qual, na base da parede havia um canal ao longo do qual os resíduos corriam para fora do castelo. E não havia papel higiene no banheiro.

Folhas de milho como produto de higiene para marinheiros e jornais para europeus

Somente no século XVI, os marinheiros que chegaram à América adaptaram as folhas de milho para a higiene. Na mesma época, os esgotos apareciam nos palácios europeus.

Com o passar do tempo e o desenvolvimento da tecnologia, o papel e a impressão ficaram mais baratos, e a Europa começava a ter jornais impressos com preços bastante acessíveis. Uma vez que um jornal lido se tornou praticamente inútil, e então encontraram outra aplicação bastante óbvia.

Tudo começou com folhas macias com o nome Gayetti

Somente em 1857, um certo empresário americano chamado Joseph Gayetti viu a oportunidade de ganhar dinheiro extra na produção de papel para necessidades de higiene. Ele começou a vender papel particularmente macio, cortado em pedaços de papel arrumados. Ao mesmo tempo, Joseph achou a invenção tão bem-sucedida que não hesitou em imprimir seu nome em cada folha.

A produção industrial em larga escala de papel higiênico foi lançada nos Estados Unidos em 1890. Chegou à Europa um pouco mais tarde. O rolo de papel higiênico comum, da qual estamos familiarizados, foi produzido pela primeira vez na Alemanha em 1928.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − quatro =