A invasão da embaixada da Venezuela em Brasília

Apoiadores de Guaidó são expulsos por apoiadores de Maduro. Reprodução.

Invasores entraram à força na embaixada por volta das 5hs da manhã (13/11),  e passaram a agredir as famílias lá residentes, inclusive mulheres e crianças. Agrediram também parlamentares brasileiros que lá estavam para apoiar o pessoal diplomático legítimo.

Foi sem dúvida, um ato planejado, realizado justamente por ocasião da realização da cúpula dos BRICS na capital federal. A invasão da embaixada da Venezuela, feita graças às posições do governo Bolsonaro é uma clara provocação ao BRICS e à comunidade internacional.

O apoio do governo brasileiro e do Itamaraty ao crime revela-se pelo fato de que o Ministério das Relações Exteriores enviou para lá diplomata com a missão de “legitimar” a invasão e expulsar da embaixada seus diplomatas oficiais. Também evidencia-se pelas declarações de entusiástico apoio dadas por Eduardo Bolsonaro, presidente da Comissão de Relações Internacionais da Câmara dos Deputados e filho do presidente da República.

Tal fato é uma clamorosa e grosseira violação da Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas.

O líder da invasão

A Polícia Militar do Distrito Federal deteve o suposto líder da invasão da embaixada da Venezuela em Brasília nesta quarta-feira (13).

Ele é Alberto Palombo e foi retirado do local pela PM porque os ânimos ficaram exaltados entre os defensores do presidente Nicolás Maduro e do autoproclamado presidente, Juan Guaidó, informaram fontes à Sputnik Brasil.

Ainda de acordo com as fontes ouvidas pela reportagem, Palombo organizava os manifestantes que invadiram a embaixada e foi retirado para evitar agressões.

O ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, afirma que responsabiliza o “governo do Brasil pela segurança de nosso pessoal e instalações”.

A Fuga

Os invasores da embaixada venezuelana em Brasília, apoiadores do líder golpista Juan Guaidó, deixaram o local no fim da tarde desta quarta-feira 13/XI, após 12 horas. O grupo era formado por ao menos 14 pessoas.

A saída dos golpistas foi acompanhada pela Polícia Militar do Distrito Federal e coordenada pela Polícia Federal e pelo Ministério das Relações Exteriores.

Assista ao vídeo que registra o momento da fuga dos invasores:

Fonte: Conversa Afiada

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze + sete =