Câmara conclui reforma e mantém todos os cortes nos direitos dos trabalhadores!

O presidente da Câmara Rodrigo Maio liderou os bolsonaristas, pelo fim da aposentadoria

Os R$ 3 bilhões liberados pelo presidente Jair Bolsonaro às vésperas da votação do 2º turno da reforma da previdência fizeram efeito e deputados da base governista concluíram na noite desta quarta-feira (7) a sujeira iniciada em julho.

Apesar dos esforços dos partidos de oposição, em particular PTPSOL e PCdoB, todos os cortes nos direitos dos trabalhadores foram mantidos. Medida agora vai para o Senado. Bolsonaro já prepara novamente os cofres públicos. Desta vez, para agraciar os senadores.

Destaques derrubados

Na votação desta quarta-feira, a oposição tentou manter direitos dos trabalhadores, através da votação de oito destaques. Os R$ 3 bilhões falaram mais alto e governo ganhou todas. Veja:

  • Abono salarial do PIS/PASEP. O PSOL queria manter esse benefício para quem ganha em média até dois salários mínimos. Na votação, 345 deputados governistas disseram não e mantiveram a proposta de Bolsonaro de concessão ao abono somente para quem ganha até R$ 1.364,43, o que exclui milhões de trabalhadores do auxílio. Apenas 139 parlamentares votaram a favor dos trabalhadores. 
  • Cálculo do valor da aposentadoria. O PT propôs manter a fórmula atual, que considera apenas a média dos 80% das maiores contribuições. Maioria governista, no entanto, manteve proposta de Bolsonaro e cálculo se dará em cima de todas as contribuições, inclusive das mais baixas, o que diminuirá bastante o benefício.
  • Além disso, maioria bolsonarista comandada por Rodrigo Maia rejeitou também melhorias relativas ao trabalho intermitente,pensão por morte,  Benefício de Prestação Continuada (BPC) – pago a pessoas com deficiência e idosos em situação de miserabilidade, dentre outros.

Do Gazeta do Povão

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + três =