EUA – Especialistas temem uma forte temporada de influenza além do COVID

Autoridades de saúde pública estão alertando que os EUA podem estar à beira de um perigoso golpe duplo: COVID e gripe, se espalhando simultaneamente.

influenza
Estrutura do vírus Influenza – Reprodução

No quadro atual, a variante Delta ainda está circulando nos Estados Unidos, e a variante Omicron não fica muito atrás. Além disso, os especialistas veem sinais de alerta em potencial de uma temporada de gripe forte, que pode deixar milhões de americanos vulneráveis ​​e sobrecarregar o sistema de saúde.

Os especialistas estão temerosos

“Se as pessoas retomarem a ‘vida normal’ sem usar máscara e sem tomar vacinas contra a gripe ou COVID, então acho que teremos um inverno difícil”, disse Gregg Miller, o diretor médico da Vituity, uma empresa que trabalha com departamentos de emergência de hospitais.

“Muitos de nós tememos que este ano possa ser uma temporada de gripe pior, mas é muito cedo para dizer”, disse Céline Gounder, especialista em doenças infecciosas e epidemiologista da Universidade de Nova York e do Hospital Bellevue à Axios.

Baixa imunização

Apenas 60% dos americanos estão totalmente vacinados contra o COVID.

  • 41% dos adultos foram vacinados contra a gripe, de acordo com o CDC , assim como 39% das crianças – significativamente menos do que o mesmo ponto no ano passado.

O CDC disse que a atividade da gripe ainda é baixa em todo o país, mas recentemente emitiu um alerta aos provedores sobre a circulação precoce de uma cepa de gripe conhecida como influenza A (H3N2).

Em temporadas anteriores, em que esse vírus era a cepa predominante, houve mais hospitalizações e mortes entre pessoas com 65 anos ou mais. Os vírus também evoluem mais rapidamente para escapar da imunidade humana, disse o CDC.

Uma temporada de forte gripe pode exacerbar ainda mais as disparidades de saúde destacadas pela pandemia.

  • As taxas de vacinação tendem a ser mais baixas entre negros e latino-americanos do que entre os americanos brancos, de acordo com o CDC.

Resumindo

“A capacidade geral de atendimento à saúde é a maior preocupação. Se acabarmos tendo uma forte temporada de gripe, isso irá sobrecarregar os cuidados de urgência e atenção primária, além do que poderia ser outro surto de COVID”, disse Michael Ganio, diretor sênior de prática e qualidade de farmácia na Sociedade Americana de Farmacêuticos do Sistema de Saúde.

“Então, obviamente, a recomendação número um para todos nós é a vacinação”, disse ele.

Fonte: Axios

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!