Herpes genital é incurável: sintomas e recomendações médicas

O herpes genital é bastante comum em várias partes do mundo e é frequentemente associado às mudanças frequentes de parceiros sexuais. Nos genitais e ao lado, se manifesta bolhas dolorosas.

Como se manifesta e como se transmite

A doença é considerada crônica, ou seja, o próprio vírus vive no organismo e a qualquer momento pode aparecer sintomas desagradáveis. Nos primeiros dois anos após a infecção, é ativado 4-5 vezes. Com o tempo, manifesta-se com menos frequência e com menos dor.

O vírus em si é bastante contagioso: através de relações sexuais a pessoa infectada rapidamente transmite para o parceiro(a). No entanto, é difícil a contaminação através de acessórios domésticos – xícaras, roupas de cama, etc. – porque o vírus não pode existir fora do corpo.

Prevenção

A camisinha pode ajudar a evitar a transmissão do herpes genital, porém ela não é 100% segura porque protege apenas o pênis e a vagina, enquanto o vírus pode se espalhar pela virilha. O ideal mesmo é evitar sexo quando há lesões, até porque pode causar ardor e incômodo no local.

Sinais da doença

Geralmente a pessoa infectada não observa nenhum sintoma da doença. Apenas alguns meses ou anos depois, a doença pode se manifestar. Em casos raros, o herpes genital aparece após 4-7 dias.

Os sintomas característico são os seguintes:

  • o surgimento de pequenas bolhas vesiculares, após as quais feridas vermelhas abertas eclodem na pele das coxas, nádegas, ânus ou genitais;
  • dor ao urinar;
  • sinais de gripe: mal-estar, dor na região lombar;
  • um aumento nos gânglios linfáticos inguinais e hipersensibilidade;
  • aumento de temperatura.

Estes sinais são visíveis dentro de 20 dias. Então as feridas se tornam crostas e curam. O vírus em si é fica alojado no corpo em estado de latência, e cedo ou tarde, se faz sentir novamente.

Vírus e gravidez

A doença pode ser transmitida de forma vertical: da mãe para o filho. Para uma mulher grávida, a doença é perigosa durante o primeiro e segundo trimestres (até a 26ª semana). Neste caso, o risco de aborto espontâneo não é excluído. Estando no útero, o bebê pode ser infectado pela mãe doente, o que é especialmente característico das últimas seis semanas de gravidez. Neste caso, uma cesariana é realizada às vezes. Normalmente, para evitar que isso aconteça, os médicos prescrevem uma droga antiviral para gestantes como “Aciclovir”.

Tratamento

Para combater a doença, os médicos prescrevem a droga “Aciclovir” e seus análogos. Este tratamento ajuda a prevenir a reprodução do vírus.

No entanto, a doença permanece no corpo e as drogas não funcionam mais imediatamente após o término de sua recepção. A duração do uso de “Acyclovir” deve ser feito por 10 dias.

O que fazer com as recaídas

O vírus vive no corpo, o que significa que, mais cedo ou mais tarde, ele se manifestará. Os sintomas da doença são desagradáveis, por isso o médico pode dar recomendações para aliviar a condição do paciente.

Portanto, não é necessário aquecer excessivamente as áreas afetadas ou expô-las ao sol, para não provocar ainda mais irritação. Recomenda-se não utilizar produtos de higiene antibacterianos.

Limpe a superfície afetada com água pura ou salgada. O gelo pode ser aplicado nas bolhas e envolto em pano. Para evitar que a micção seja muito dolorosa, recomenda-se tratar as bolhas com vaselina.

O herpes genital é uma doença sexualmente transmissível muito desagradável, para a sua cura completa ainda não foi encontrado qualquer medicamento. A causa de sua ocorrência é frequentemente associada a relações sexuais promíscuas.

 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − dez =