Impressões de viagem à Rússia – parte VIII – O último dia

Em sequência ao post anterior …Os 100 anos da Grande Revolução Russa

Levantamos cedo para arrumar as malas e depois fomos tomar café da manhã. Na minha programação faltavam ainda duas atividades para encerrar a viagem.

Após o término do desjejum, fui até a estação do metrô Dínamo (linha 2) e de lá fui até a estação Bielorusskaya (1 parada). Da estação Bielarusskaya mudei para linha 5 e fui até a estação Barrikadnaya (1 parada). E da estação Barrikadnaya mudei novamente para linha 7 e dai mais (3 paradas) até a estação Polezhaevskaya. Parece complicado, mas com o mapa do metrô fica fácil.

Da estação caminhei até a Ulitsa Zorge (pronuncia-se Zorgue). Em uma praça logo no começo da rua está o objetivo da caminhada, o monumento ao “Herói da União Soviética Richard Zorge”. Muito pouca gente conhece a história desse grande homem. Vou contar resumidamente um pouco de seus feitos e espero em breve fazer um post completo relatando sua história.

Richard Zorge nasceu em Baku (pertencia à época ao Império Russo) no ano 1895, filho de pai alemão e mãe russa.

Era ainda criança quando sua família emigrou para Alemanha. Anos mais tarde em 1914 se alistou no exército alemão e foi ferido na perna durante a primeira guerra mundial sendo condecorado com a Cruz de Ferro. Os horrores do front das batalhas causou uma marca profunda em Zorge, e a partir de então ele se torna um pacifista.

Em 1925, vai a Moscou e filia-se ao Partido Comunista da União Soviético e é arregimentado pelo serviço secreto. Em 1930, é enviado para a China, pelo serviço de espionagem e ao longo de três anos de estadia no país, adquiriu um profundo conhecimento da Ásia e de alguns dialetos chineses.

Zorge já um jornalista renomado do Frankfurter Zeitung, poliglota e de vasta cultura, recebeu a missão de montar uma rede (Ramsay) de espionagem no Japão em 1933. Para o exito de sua missão ele filia-se ao partido nazista, e em 1937, Zorge passa informações da maior importância para URSS, tais como a data do início da Operação Barbarossa e a de que o Japão não atacaria a URSS, o que permitiu o reposicionamento do enorme contingente soviético que se encontravam na fronteira com o Japão para oeste, o que possibilitou deter, em Stalingrado, a operação alemã de invasão da URSS.

Em 1941 sua rede foi descoberta e ele preso, e em 07 de novembro ele foi enforcado na prisão de Sugamo.

Em 1964, ele recebeu o título de Herói da União Soviética, sendo erguidos monumentos em sua homenagem, em Moscou e Baku.

fotos
Monumento em homenagem à Richard Zorge

Antes de fazer a derradeira visita, aproveitei que próximo à estação de metrô havia uma farmácia, e como estava com um princípio de gripe resolvi entrar.

Na Farmácia – Aптекa (ap’tieka)

Ao entrar na farmácia foi como recordar da antiga Pharmácia Santa Terezinha (era com Ph que se grafava antigamente) quando era criança.  Os armários de madeira escura e as vitrines eram bem antigos, mas muito bem conservados, foi realmente uma viagem no tempo. Fui atendido por uma moça de avental branco atrás de um vidro com uma pequena abertura. Eu disse que estava resfriado e que queria uns compridos. Então ela disse: – Gripa?! -Да (Da -Sim), eu respondi.

Então ela trouxe uma caixa e perguntou e ao mesmo tempo fez sinal com as mãos se meu nariz estava escorrendo, eu disse que sim. Ela pegou mais uma caixa com spray nasal. Ai  perguntei se era bom (хорошо – pronuncia-se “Kharachó” *as letras Kh pronuncia-se como o H de”Honda”), e ela respondeu: – хорошо!

De fato os remédios eram muito bons, aquela sensação de uma gripe se aproximando desapareceu rapidamente e a renite também.

Os remédios indicados foram:

Тизин (Tizin) – indicado para rinite (nariz escorrendo), preço 193 rublos.

Ингавирин 90 (Ingavirin 90) – antigripal em cápsula 1, tomar uma vez ao dia, preço 538 rublos.

fotos
Remédios para gripe

Foi fácil comprar remédio para gripe!

O Mausoléu de Lenin

A última visita foi ao mausoléu de Lenin, para chegar lá,  retornei pela estação de metrô Polezhaevskaya e fui até a estação Pushinskaya (4 paradas). Da estação Pushinskaya mudei para linha 5, então a estação passa a se chamar Tverskaya. Da estação Tverskaya com apenas uma parada cheguei à estação Teatral’naya.

A partir da estação Teatral’naya caminhei por uns 500 metros, e de longe já dava para enxergar a fila que se formava.

fotos
Fila para visitar o mausóleo de Lenin
fotos
Busto das personalidades soviéticas na área externa do mausoléu

Após uns 40 minutos de espera, passei pelos portões de revista, e mais uns quinze minutos entrei no local onde está os restos mortais de Lenin. Logo na entrada havia um guarda, a visita é rápida, apesar da luz tênue era possível ver nitidamente o grande líder da Revolução Russa. Lenin parecia esta dormindo prestes a levantar para novas lutas!

O rosto era rosado e os cabelos ruivos. Dentro do recinto deve estar em silêncio, tirar chapéus e portar-se de forma respeitosa e de nenhuma forma tirar fotos.

É possível fazer uma visita virtual ao Mausoléu.

O Mausoléu está aberto para acesso todas as terças, quarta, quinta e sábado das 10 às 13 horas e a entrada é gratuita.

Por volta do meio-dia retornei ao hotel, para os últimos preparativos da viagem de retorno e aproveitei para solicitar ao atendente do hotel para ligar para um táxi.

As 14:00 em ponto o táxi já estava a nossa espera. O trajeto de táxi (Uber) até o aeroporto de Sherementievo foi rápido e custou 2000 rublos. Chegamos ao aeroporto ainda cedo para fazer o check-in, após mais ou menos uma hora de espera fizemos tramites para o embarque.

Dentro do aeroporto resolvemos fazer a última refeição na Rússia.

Fomos até o Крошка Картошка (Kroshka Kartoshka), no menu vimos escrito бизнес (biznes), supus que seria o equivalente ao prato Executivo do Brasil.  E era exatamente isso, o бизнес tem a opção de escolher “batata recheada” ou “sandwich”, no caso da batata há a opção de escolher entre dois tipos de recheio,  um suco e sempre acompanhado de uma quentinha sopa de legumes.

fotos

fotos
Batata assada com recheio

Após a refeição ainda deu tempo em ir a um duty free. E as 18:55 partimos com destino a Osaka com uma parada em Beijing.

Este é o último post desta série, a Rússia deixou grandes recordações, mas com certeza em breve voltarei visitar novamente.

Estarei a iniciar uma nova série sobre a China, um mundo ainda desconhecido para muitos viajantes, aguardem!

Até breve!

 

 

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!