Impressões de viagem à Rússia – Hotel Sovietskiy- parte II

fotos

Em continuidade a postagem anterior…Rússia, parte I

No Hotel

O taxista nos deixou no hotel por volta 19:00 hs, fazia em torno de -2°C, isso no outono russo. O hotel que escolhemos, foi o magnífico Legendary Otel Sovietsky, pelo nome já diz tudo. É um hotel temático  quatro estrelas, e apesar desse fato, o preço nada se compara aos valores pagos em um hotel quatro estrelas no eixo Rio de Janeiro – São Paulo ou Brasília.

fotos

No saguão divisamos de cara a bela tapeçaria com o símbolo do martelo e a foice. Fomos ao balcão de check-in do hotel e apresentei o voucher de reserva e nossos passaportes. Os atendentes falam fluentemente o Inglês. Uma das preocupações que tive foi de perguntar se fariam o registro de estrangeiro na polícia, porém fui esclarecido que só a partir de sete dias que é necessário fazer o registro.

Um detalhe importantíssimo para o viajante, é que o hotel conta com uma casa de câmbio 24 horas.

Foi nos reservado o apartamento 209. O mesmo possuía 15 m², uma cama de casal tamanho King-size, uma mesinha com duas cadeiras e um guarda-roupa com um cofre.

Após nos acomodarmos e tomar banho em uma banheira enorme feita de porcelana, nós descemos para jantar, mas antes fomos dar uma olhada na rua. E não nos arrependemos, a noite estava muito bonita e bem iluminada devido a iluminação do hotel e a maior surpresa: fomos agraciados com a neve moscovita.

Já o Restaurante Yar, é um restaurante que tem muita história (1826) e já foi frequentado por Rasputin e outras figuras históricas. Na verdade o restaurante faz parte do hotel, e seu acesso pode ser através do próprio hotel  ou com acesso externo.

fotos

fotos

O nosso primeiro jantar foi composto de Salat Olivier, a sopa de beterraba Borsch, salmão grelhado e para acompanhar um delicioso vinho russo Dostoyniy (Digno) Select.

O preço ficou em torno de 5000 rublos (87,70 dólares), um detalhe é que na Rússia os restaurantes não incluem a gorjeta no preço cobrado, porém é costume dar 10 porcento do valor ao garçom. Ah! antes que eu esqueça, o menu é em russo e inglês.

Na manhã cedo, mas não tão cedo assim, porque o café da manhã é servido a partir de 07:00 e salvo engano vai até as 09:00, descemos ao local onde é servido o desjejum. A variedade de pratos era enorme, se fossemos experimentar tudo o que tinha o que é humanamente impossível, não precisaria almoçar e nem jantar! Vou relacionar o que eu lembro:

Havia diversos tipos de pães inclusive o famoso pão preto russo, queijos, salames, ovos, batatas, arroz, saladas variadas, blinis, ikra (caviar), frutas, pêssego em compota, sucos, chás, café, etc.

Após o café da manhã,  a nossa programação era conhecer a praça vermelha, o mausoléu de Lenin e também o Palácio do Arsenal do Kremlin, o qual já tinha comprado o ingresso antecipadamente pelo site   https://tickets.kreml.ru/en/#id=1.

O metrô

Para ir até o Kremlin fomos a pé do hotel até a estação Dínamo da Linha 2 do metro que fica em frente ao estádio Dínamo de Moscou e descemos na estação Alma-Altinskaya, são ao todo quatro estações e o tempo de viagem  é de aproximadamente 8 min. O preço único é de 55 rublos.

fotos
Estação Dínamo e a reforma do Estádio Dínamo para a Copa do Mundo
fotos
Bilhete Único de Metro e transporte público  

Conhecer algumas das belas estações do metro de Moscou é uma viagem a parte e também porque não na história do país.

O Metro de Moscou (Московский метрополитен / Moskovskii Metropolityen) foi inaugurado em 1935 durante o período do governo de Stalin. Possui 12 linhas, com mais de 200 estações e a maioria das linhas são totalmente subterrâneas, poucas linhas percorrem parte do trajeto em superfície e atualmente transporta nove milhões de passageiros por dia.

O projeto é extraordinário, existe uma linha (nº5) que circunda o centro histórico da cidade e há outra linha também circular (nº12) que circunda a periferia, as demais linhas, 10 no total são radiais que atravessam essas duas linhas circulares. A linha do metrô de Moscou foi projetada de tal modo que se uma pessoa estiver num extremo da cidade e quiser ir a outro extremo, basta fazer duas transferências de linha sem precisar ir até ao centro, isto evita um congestionamento de passageiros como acontece no metrô de São Paulo.

Para comprar o bilhete existe a opção através das máquinas automáticas com opção da língua Inglesa ou na bilheteria. Para uma viagem a passagem custa 55 rublos, duas viagens 110 rublos, ou 20 viagens 747 rublos. Para quem está á turismo é mais econômico comprar o múltiplo de 20 viagens.

Um detalhe interessante é na hora de passar pela catraca do metrô. Existe na catraca um “M” em alto relevo na cor amarela, como eu vi as pessoas colocando em cima o bilhete magnético, eu fui fazer a mesma coisa, encostei o bilhete no “M” e nada! Uma senhora que trabalha na estação (Dínamo) viu minha dificuldade e me mostrou que não era apenas encostar,  tinha que pressionar o “M” para que pudéssemos passar pela catraca.

Os trens são extremamente pontuais, ou seja, o tempo de espera entre os trens é no máximo 90 segundos, portanto não é preciso correr ou empurrar as pessoas.

Dentro vagão as pessoas ficam silenciosas eu não escutei durantes as viagens qualquer tipo de barulho ou conversas. A estação é anunciada em russo e depois em inglês pelo alto falante, e há também em cima das portas um quadro sinótico onde a luz fica piscando a indicar qual  é a próxima estação em que a composição irar parar, e está escrito em cirílico e românico, portanto para quem não sabe o russo não encontrará nenhum problema em se situar.

Nas estações também são fáceis de localizar as linhas, no chão dos corredores há setas de indicação das linhas e também há placas indicativas nos alfabetos cirílico e românico.

Segue o link do mapa da rede do metrô de Moscou: http://mosmetro.ru/metro-map/.

As estações de metrô são magníficas, conhecer as estações é uma verdadeira viagem a história do país.

fotos
estação Partizanskaya

fotos

Kremlin

O primeiro lugar que visitamos no Kremlin foi os Jardins de Alexandre, que ficam do lado de fora das muralhas.

É nos Jardins de Alexandre que fica o quiosque que vende as entradas para o Kremlin. Existem três categorias de ingressos: 250 rublos para visitar o campanário de Ivan; 500 rublos para visitar as Catedrais; e 700 rublos para visitar o Palácio do Arsenal. Vale ressaltar que com o ingresso de 250 rublos, você poderá ver as igrejas todas, mas não poderá entrar em seus interiores. Para evitar fila eu comprei o ingresso  para visitar o Kremlin no site oficial. Com voucher em mãos de todo o jeito é necessário trocar o bilhete no quiosque, que naquele dia estava sem muita gente nas filas.

fotos

fotos

fotos
Jardins de Alexandre
fotos
Monumento em homenagem à Alexandre I

Os Jardins de Alexandre (Александровский сад) ficam do lado de fora da muralha do lado oeste do Kremlin, e tem esse nome em homenagem ao tzar Alexandre I, pois ele foi o responsável pela restauração de Moscou, após as Guerras Napoleônicas.

Além de ser o lugar onde está o ponto de vendas de ingressos para visitar o interior do Kremlin, o principal destaque do local fica por conta do Túmulo do Soldado Desconhecido, que está sepultado aos pés da grande muralha, junto à Chama Eterna. Ambos representam todos os soviéticos mortos na Grande Guerra Patriótica (2ª Guerra Mundial).

O Mausoléu de Lenin fica em plena Praça Vermelha, junto à muralha do Kremlin, quase ao lado da Torre do Salvador. O acesso é feito através de uma entrada que fica ao lado do Museu Histórico do Estado, próximo à entrada dos Jardins de Alexandre. Mausoléu está aberto para acesso todas as terças, quarta, quinta e sábado das 10 às 13 horas e a entrada é gratuita.

fotos
Mausoléu de Lenin
fotos
O túmulo de Stalin é o mais visitados após o de Lenin

O Palácio do Arsenal (Oruzheynaya Palata)

O Palácio do Arsenal é um edifício fica na parte sudoeste do Kremlin, perto da Torre Borowizki. Em seu interior está instalado um dos mais famosos museus de arte da Rússia. O prédio possui dois pisos, onde podemos ver a exposição de armas históricas, peças de artesanatos em ouro e joalherias, carruagens e etc. Quem for á Moscou vale a pena visitar este museu, as peças expostas é de uma rara beleza, mas infelizmente diferente de outros museus que visitei, não se pode tirar fotografia, então para evitar fazer algo ilegal, as imagens ficarão apenas na lembrança.

fotos
Vista externa do Palácio do Arsenal e ao lado a Torre Borowiski
fotos
Ingresso ao museu do Palácio do Arsenal

Após a visita ao Kremlin, á tarde seguindo nosso roteiro fomos ao Kremlin de Izmailovo, um local muito legal para fazer compras de artesanato e levar algumas lembrancinhas. Mas este passeio fica para a próxima postagem.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!