Japão a Terra do Sol Nascente – Hiroshima, visita no Museu Memorial da Paz

Na manhã seguinte fomos conhecer, o Parque Memorial da Paz e o Museu Memorial da Paz.

Um pouco da História

Durante a Segunda Guerra Mundial, Hiroshima era uma cidade de importância militar e industrial. Muitas fábricas de armas e munições estavam localizadas em Hiroshima e arredores. Era uma base de estoque e fornecimento para os militares japoneses e também tinha um porto que fazia dele um centro logístico. Devido a estas razões, Hiroshima foi escolhido como o primeiro alvo. Os outros alvos prévios foram Kokura, Yokohama, Niigata e Kyoto.  Às 8h15 de 6 de agosto de 1945, a bomba atômica conhecida como “Little Boy” foi lançada em Hiroshima pelo bombardeiro americano B-29, Enola Gay. A bomba destruiu quase tudo num raio de 2 kms. Quase tudo foi arrasado, exceto algumas estruturas de concreto.

Em um verão japonês já sufocante, a temperatura subiu tremendamente matando milhares de pessoas. Uma nuvem de cogumelo se formou sobre o epicentro e tem sido muito fotografada. Uma chuva negra caiu na cidade mais tarde naquele dia. Estima-se que 70.000 pessoas foram mortas na explosão e suas conseqüências. Aqueles que sobreviveram tiveram que enfrentar doenças relacionadas à radiação. Os efeitos da radiação foram tais que esses sobreviventes, conhecidos como Hibakusha, tiveram que enfrentar várias dificuldades, incluindo a discriminação. Nas décadas seguintes, mais pessoas morreram devido aos efeitos da radiação. Muitos hibakusha ainda vivem em Hiroshima e nas áreas circunvizinhas. O bombardeio duplo de Hiroshima e Nagasaki abriu caminho para uma campanha contra o uso de armas nucleares.

O Parque Memorial da Paz

A maioria dos monumentos da bomba atômica de Hiroshima ficam dentro ou ao redor do Parque Memorial da Paz, conhecido localmente como Heiwa Koen.

O Cenotáfio foi um dos primeiros monumentos memoriais dedicados às vítimas. Foi inaugurado em 6 de agosto de 1952. Os arcos simbolizam um abrigo para as almas das vítimas do bombardeio.

Uma caixa de pedra contendo um registro dos nomes de todas as vítimas do bombardeio atômico é depositado aqui. Os nomes são adicionados à lista com a morte de todos os hibakusha, que morrem de doenças relacionadas à radiação. Uma inscrição diz: “Que todas as almas aqui descansem em paz, pois o mal não deve ser repetido”. A cúpula da bomba atômica pode ser vista através do arco do Cenotáfio.

A Chama da Paz (vista na foto acima) queima em uma extremidade da lagoa e é visível através dos arcos do Cenotáfio, que foi aceso pela primeira vez em 1964 e uma placa diz que o fogo não se extinguirá até que a última arma nuclear tenha desaparecido da Terra.

O Monumento da Paz das Crianças – Genbaku no konozo é um monumento dedicado a uma jovem vítima da bomba atômica, Sadako Sasaki.  Sadako tinha apenas 2 anos de idade no momento da explosão, aos mais tarde foi diagnosticada com leucemia devido à radiação e faleceu quando tinha  12 anos de idade. Ela acreditava que se dobrasse 1000 tsurus (grou) de papel origami (símbolo japonês de longevidade) conseguiria se curar. Então ela diariamente dobrava os tsurus de papel até sucumbir à doença em outubro de 1955. Crianças de escolas em todo o Japão enviaram milhares de tsurus de papel origami em sua memória. O monumento foi construído em 1958. No topo do monumento é uma estátua de Sadaki segurando um tsurus de ouro.

Animação em homenagem à Sadako e os mil tsurus de papel.

Mais de cinquenta memoriais, estátuas e outras estruturas estão espalhadas por toda a área de 120.000 metros quadrados do parque, que já foi parte do movimentado distrito mercantil Nakajima. A área foi quase instantaneamente arrasada devido à explosão da bomba atômica. O símbolo do bombardeio atômico de Hiroshima é a cúpula da bomba atômica, também conhecida como Memorial da Paz de Hiroshima.

O nome japonês para essa estrutura é Genbaku Dome. A estrutura é o esqueleto do antigo Centro de Promoção Industrial da Prefeitura de Hiroshima. Projetado pelo arquiteto tcheco Jan Letzel em 1915, o edifício foi projetado predominantemente em estilo europeu com uma cúpula verde. Quando a Bomba-A foi lançada em Hiroshima, as pessoas dentro do edifício foram instantaneamente mortas devido ao tremendo calor.

Instalado em 1964, o Sino da Paz é gravado com um mapa do mundo sem fronteiras significando ‘One World’. O sino pode ser tocado pelos visitante.

Neste monumento contém as cinzas de 70.000 vítimas de bombas que não foram identificadas ou cujos restos mortais não foram reclamados por parentes vivos.

As rosas de Hiroshima

O Museu Memorial da Paz

O Museu Memorial da Paz tem em exibição documentos relativos ao bombardeio atômico, modelos representando Hiroshima antes e imediatamente após o bombardeio e artefatos que retratam o poder destrutivo da bomba.

Uma observação: O ambiente tem um clima pesado, e algumas pessoas mais sensíveis não se sentem muito confortável em ver algumas cenas chocantes.

Reprodução de uma cena após a explosão nuclear.

Maquete da cidade de Hiroshima mostra o ponto em que a bomba foi detonada.

Maquete da bomba “Little Boy”.

Alguns objetos expostos que foram doados ou retirados dos escombros.

Os horários de funcionamento variam sazonalmente. A partir de Março ~ Julho e Setembro ~ Novembro as horas são de 8: 30 ~ 18: 00. Durante agosto, o museu está aberto até às 19:00, e de Dezembro ~ Fevereiro, o museu está aberto até as 17:00. Em 5 e 6 de Agosto, o museu fica aberto até às 20:00. (Essas duas datas são o aniversário do lançamento das bombas.)

O ingresso custa 200 ienes para adulto.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um + 1 =