Lula encerra giro pela Europa com maestria política

Durante seu discurso, Lula foi interrompido diversas vezes por aplausos e refletiu sobre a insensibilidade que marca o planeta hoje, que produz alimento para todos mas no qual milhões ainda passam fome.

lula
Lula discursou para um público qualificado em Madri, última etapa do giro bem sucedido pela Europa

Durante discurso no seminário “Cooperação multilateral e recuperação regional pós-Covid”, na manhã desta quinta-feira, na Espanha, Lula questionou os presentes:

— Onde é que está o nosso humanismo?

Ele foi interrompido diversas vezes por aplausos e refletiu sobre a insensibilidade que marca o planeta hoje, que produz alimento para todos mas no qual milhões ainda passam fome. E conclamou:

— É preciso criar uma nova governança mundial.

A fome

Lula afirmou durante o discurso que “a governança mundial criada depois da segunda guerra precisa ser mudada. O FMI não resolve os problemas do mundo e desaparece quando há crises como a que passou a Argentina”.

— É preciso criar uma nova governança mundial. É preciso abrir o Conselho de Segurança da ONU para países da Europa das outras regiões. Os Estados Nacionais não estão cumprindo os acordos internacionais e isso precisa mudar — acrescentou, em um dos últimos compromissos públicos no giro bem sucedido pela Europa.

Para o ex-presidente, “é urgente uma reconstrução profunda do mundo, sobre os alicerces da igualdade, da fraternidade, do humanismo, dos valores democráticos e da justiça social. Porque mesmo que sobrevivam à covid, 800 milhões de pessoas hoje não conseguem escapar de outro terrível flagelo – a fome”.

Moncloa

Lula acenou com esperança para a possibilidade dessa reconstrução:

— Nosso maior alento é a certeza de que a construção de um outro mundo é perfeitamente possível, porque já fomos capazes de construí-lo. Um mundo mais sustentável, menos desigual, mais justo, mais solidário e mais feliz.

Ainda nesta sexta-feira, o ex-presidente encontrou-se com o presidente do governo espanhol, Pedro Sánchez, no Palácio da Moncloa, em Madri. A Espanha é o último dos quatro países visitados pelo ex-presidente, que cumpriu este mês agenda na Alemanha, na Bélgica e na França.

Após sua visita à França, um dos principais jornais do país, o Le Monde, destacou na sua edição desta quinta-feira o sucesso do giro europeu de Lula. A reportagem assinala que Lula foi recebido na véspera no Palácio do Eliseu como chefe de Estado pelo presidente francês, Emmanuel Macron.

Temas sensíveis

“O carismático líder da esquerda brasileira foi recebido com todas as honras no Palácio do Eliseu”, diz Le Monde. Emmanuel Macron “não hesitou em convocar a Guarda Republicana para a ocasião e descer os sete degraus do palácio para receber calorosamente seu ilustre convidado”.

O Palácio do Eliseu, sede da Presidência da República Francesa, classificou o encontro de uma hora entre Macron e Lula como “caloroso” e de “alto nível”. Como dois chefes de Estado intercambiando opiniões, eles abordaram no encontro temas sensíveis como clima, Amazônia, América Latina, Europa, globalização, entre outros.

Fonte: CdB

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!