Lula recebe título de cidadão honorário em Paris

Ex-presidente recebeu o título de cidadão honorário da prefeita da capital francesa, Anne Hidalgo; mais cedo, Lula se reuniu com Melénchon e Hollande

Ricardo Stuckert/PT Ex-presidente recebeu o título de cidadão honorário de Paris

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu nesta segunda-feira (02/03) o título de cidadão honorário de Paris, homenagem feita pela prefeita da cidade, Anne Hidalgo. Ao discursar, Lula agradeceu a solidariedade da França com a situação do Brasil e disse que nunca esteve tão motivado a lutar pela democracia.

“Estou muito emocionado de estar aqui em Paris recebendo essa homenagem. Quando digo pra vocês que tenho energia de 30, digo porque nunca estive mais motivado do que estou agora a brigar pela democracia no nosso país”, afirmou.

O ex-presidente ainda disse que “a triste situação em que se encontra meu país e o sofrimento do nosso povo são consequência de repetidos ataques, maiores e menores, ao estado de direito, à Constituição e à democracia”.

Sobre sua situação jurídica, Lula afirmou que “se hoje estou num estado provisório de liberdade e ainda sem direitos políticos, é porque em novembro o STF reconheceu, para todos os cidadãos, o direito constitucional à presunção de inocência que havia sido negado ao cidadão Lula, às vésperas de minha prisão”.

Ele também tratou da pobreza e desigualdade em seu discurso, afirmando que “é meu dever falar aqui em nome dos que sofrem, em meu país, com o desemprego e a pobreza, com a revogação de direitos históricos dos trabalhadores e a destruição das bases de um projeto de desenvolvimento sustentável, capaz de oferecer inclusão e oportunidades para todos!”.

Mais cedo, Lula se reuniu com Sebastião Salgado pela manhã. Em seguida, almoçou com o ex-mandatário francês François Hollande. No domingo (01/03), o petista se encontrou com Jean-Luc Mélenchon, líder do partido de esquerda França Insubmissa.

Lula relembrou os 13 anos de governo do PT no Brasil e da luta contra a pobreza durante este período. “Bastaram 13 anos de governos que olharam o povo em primeiro lugar, para começarmos a reverter a doença secular da desigualdade em nosso país. Foram passos ainda pequenos para a dimensão do desafio, mas estávamos no caminho certo, porque 36 milhões saíram da pobreza extrema”.

“O que está ocorrendo no Brasil é o resultado de um processo de enfraquecimento do processo democrático, estimulado pela ganância de uns poucos e por um desprezo mesquinho pelos direitos do povo; desprezo que tem raízes profundas, fincadas em 350 anos de escravagismo”, disse o ex-presidente.

Lula também disse que contou à prefeita Anne Hidalgo que soube que iria receber o título de cidadão honorário de Paris quando ainda estava preso, e que até seus carcereiros ficaram felizes.

“Eu estava contando a prefeita Anne Hidalgo que quando fui informado desse prêmio eu ainda estava preso e fiquei muito feliz. O que me deixou mais impressionado é que os carcereiros que cuidavam de mim também ficaram. Eu ainda me emociono quando lembro das pessoas que ficaram gritando bom dia e boa noite durante aqueles 580 dias em Curitiba, debaixo de chuva, debaixo de sol”.

Fonte: Opera Mundi

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + 7 =