Miliciano morto pela polícia estava escondido em sítio de vereador do PSL

O vereador do PSL Gilsinho da Dedé diz que não sabia! E nega conhecê-lo.

Miliciano foi encontrado com quatros armas e 13 celulares (Divulgação/SSP-BA)

Um dos líderes da facção criminosa que atua no Rio de Janeiro, o  miliciano Adriano Nóbrega, morto em confronto com policiais na madrugada deste domingo 9/II, estava escondido no sítio do vereador Gilsinho da Dedé, do PSL, na zona rural de Esplanada (BA).

Em entrevista ao portal G1, Gilsinho disse que se surpreendeu ao saber que o miliciano estava em seu sítio. Ele negou conhecer Adriano e disse que o terreno deve ter sido invadido.

“Na realidade fui informado por um vizinho, me informando que estava tendo uma operação e perguntando se estava sabendo de alguma coisa, achando que era até assalto. Estou viajando e não tinha informação nenhuma, recebi apenas isso [inicialmente]”, disse.

“Nunca [conheci] na minha vida. Nunca falei, além das fotos que saíram na mídia nunca nem vi, nem falei, nunca tive nenhum contato, nem fui apresentado”, completou.

Acredite quem quiser, um miliciano ligado ao senador Flávio Bolsonaro que era do PSL, morto em um” confronto” no sítio de um vereador do PSL, é mais do que uma coincidência!

Adriano da Nóbrega levará ao túmulo muitos segredos. Ele era um dos participantes que poderia elucidar sobre quem foi o mandante da morte da Marielle. Bolsonaro e filhos por enquanto podem ficar sossegado. Mas, até quando?

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + dezenove =