O coronavírus é um “vírus de guerra” da Terceira Guerra Mundial

O coronavírus é uma arma biológica implantada na China, afirmou Alexander Sobyanin, diretor político do Fundo de Desenvolvimento Cultural Nomad, durante entrevista no programa Ponto de Vista

Por que os EUA realizam a operação “Coronavírus”?

É um vírus de guerra e é uma operação estratégica dos EUA para desenvolver novos centros militar-industriais para a Terceira Guerra Mundial. O objetivo de Washington é enfraquecer os rivais no cenário mundial por conflitos internos, afirmou o político.

A transição dos Estados Unidos “das relações do Atlântico para o Pacífico” não será gentil e pacífica. Os Estados Unidos aguardam uma curta guerra civil como meta de trazer as elites dos países atingidos para as raízes da ideologia americana. Neste momento, os Estados Unidos tem um objetivo importante – para manter a liderança no planeta, é necessário garantir que nenhum concorrente tenha a oportunidade de conduzir uma política mundial independente. As mãos de todos serão amarradas pela guerra, nenhum acordo será respeitado “, afirmou.

Isolamento e auto-isolamento do país

Alexander Sobyanin observou que as sanções levaram à restrição do comércio mundial, ou seja, a aposta é em esmagamento, isolamento e auto-isolamento.

“Assim que um vírus é detectado em algum país, eles imediatamente o isolam, como uma reação normal a essa ameaça criada por eles próprios”, disse Alexander Sobyanin.

Segundo o político, a Rússia não faz isso: “Quero acreditar que subestima involuntariamente o tamanho da epidemia, que pode custar caro a ela” . Os países que rearmam seus exércitos estão isolados – China, Rússia, Japão, Irã, Alemanha. Na Europa, esses são os países que deveriam “cair sob o julgo da Alemanha”, ou seja, tornar-se seus satélites na nova guerra mundial – Itália, Grécia, Espanha.

“Não podemos deter esse movimento, porque os Estados Unidos e as elites nacionais de muitos estados estão interessados ​​nisso. Mas devemos estar bem preparados para uma nova guerra “quente” – e para estabelecer novas formas de cooperação que preservem a Rússia de condições econômicas muito piores”. disse Alexander Sobyanin.

Rússia vai lutar novamente com a Alemanha

Segundo Alexander Sobyanin, ” lutaremos novamente com a Alemanha, e não com a América”.

“Os americanos trouxeram novamente o fascismo para a Alemanha e o armaram para que a Alemanha pudesse pegar o petróleo do Azerbaijão. Agora eles estão rasgando a Ásia Central atrás de urânio e metais de terras raras. Os muçulmanos são ao mesmo tempo um pavio, mas não são beligerantes – não têm complexos militares. A Síria “é a porta para a presença da Rússia no Oceano Índico e na África. Iêmen, Egito, Etiópia, Síria garantirão a presença da Rússia nessa região”, afirmou o político.

Segundo ele, no leste da Ásia o Japão que também está militarizando, tentará iniciar uma guerra contra a Rússia.

“Os exércitos estão se rearmando, a “arma deverá ser disparada”. A tarefa dos EUA não é matar diretamente um ao outro, e sim realizar guerra de procuração, que envolve perdas de milhares de vidas, dinheiro, economia e ódio”, disse Alexander Sobyanin.

Na situação pré-guerra, a Rússia precisa lidar com:

  • elites que não entendem completamente que estão ameaçadas de destruição física;
  • as pessoas , porque “somente a calma e a prudência, e pessoas felizes, sabendo que tem um país poderoso  que as protege, pode vencer essa guerra.”

Fonte: Pravda

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × quatro =