O preço da traição: General golpista recebe um milhão de dólares

O general golpista Kaliman e a usurpadora Janine Áñez

O general golpista que exigiu a renúncia do presidente Evo Morales, Williams Kaliman, foi morar nos Estados Unidos e recebeu um milhão de dólares do gerente de negócios da embaixada ianque na Bolívia.

Apenas 72 horas após o golpe, Williams Kaliman foi morar nos Estados Unidos sem saber exatamente em que estado se esconderia depois de receber um milhão de dólares.

Bruce Williamson, encarregado de negócios da Embaixada dos EUA em La Paz, foi responsável por pagar um milhão de dólares a cada chefe militar e quinhentos mil dólares a cada chefe de polícia.

Entre o motim da polícia que permitiu o caos vingativo contra os socialistas e indígenas e a inação do Exército, o golpe foi implementado.

Bruce Williamson teria contatado e coordenado tudo apartir da província argentina de Jujuy, sob a proteção de seu governador Gerardo Morales, um dos mais próximos do presidente Maurício Macri.

Kaliman foi imediatamente substituído pela autoproclamada Presidente Janine Áñez e, assim como outros chefes militares, foram para os Estados Unidos para se proteger de qualquer investigação imediata da comunidade local e internacional.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 3 =