O quebra cabeça das eleições – a reta final!

fotos

Postado em 26/10/2018

Estamos próximo a reta final do segundo turno das eleições presidenciais, o quadro está cada dia mais nítido.

Haddad toma a ofensiva e isto é muito bom, agora ele deixa de lado um pouco do professor e assume um pouco do papel de Ciro Gomes ao chamar de frouxo o Bozo por ele fugir do debate. Do outro lado, o lado do inimigo, a ordem é o silêncio total. O primeiro a ser silenciado foi seu economista Paulo Guedes que aventou a possibilidade de recriar a CPMF contrariando o Bozo. Depois foi a vez do general “trapalhão” Mourão que criticou os negros, índios e também o 13º salário, uma verdadeira lambança! Depois foi o filho que falou em fechar o STF com apenas um soldado. Agora é o próprio que falou que ia perseguir os esquerdistas “ou eles fogem ou vão pra cadeia ou coisa pior”, se é que me entendem! Acontece que o Bozo esqueceu que praticamente toda a família brasileira tem algum membro que é de esquerda ou simpatizante ou tem algum amigo de esquerda. Com tantas ameaças, é nessa hora que liga o alarme do instinto de sobrevivência das pessoas.

Parece que muitos dos eleitores de Bozo no primeiro turno estão acordando da letargia, prestando mais atenção em seus discursos extremistas e afinal estão dando conta que sua violência já não mais agrada.

Por isso na terça (23/10) o Ibope divulgou uma pesquisa que mostra que Haddad ultrapassou por 51% a 49% na cidade de São Paulo, isto tem impacto psicológico muito grande na campanha como um todo. Para Haddad e seus apoiadores é mais um combustível para reta final, enquanto Bozo e sua equipe são como um time de futebol que joga na retranca pelo empate dando botinada até na sombra.

Só que provavelmente Haddad já marcou o gol decisivo! A última pesquisa tanto do Ibope (23/10)-Bozo com 57% e Haddad 43%, como do Datafolha (25/10)-Bozo com 56% e Haddad 44% não foram “capaz” de mostrar o crescimento ainda mais significativo do que o mostrada pala última pesquisa do Vox Populi (23/10)-Bozo com 53% e Haddad 47%. Quem acompanha as eleições no Brasil sabe que tanto o Ibope quanto o Datafolha vão “ajustando seus números na reta final, e na eleição presidencial no primeiro turno, foi a pesquisa do Vox Populi a que mais se aproximou dos resultados das urnas.

Os dados mais significativos dessas pesquisas tendo por base o Datafolha é que Haddad cresce em todas as regiões com exceção do Centro-Oeste. Na faixa etária dos 16 a 24 anos Haddad já ultrapassou Bozo – 45%x42%. Na faixa dos 24 a 34 anos Haddad subiu de 35% para 39% enquanto Bozo caiu de 50% para 49%. No voto por segmento feminino Bozo leva ligeira vantagem – 42%x41%. Na faixa de renda de até 2 salários mínimos Haddad sobe de 44% para 47% enquanto Bozo cai de 39% para 47%. No outro de extremo com renda acima de 10 salários mínimos Haddad sobe de 24% para 32% enquanto Bozo cai de 67% para 61%.

Em todos os segmentos seja com relação à faixa etária, renda e gênero, Haddad cresce. No segmento “religião, entre os católicos há empate, Haddad 43% e Bozo 44%. Porém entre os evangélicos a diferença é bastante significativa, Haddad 26% enquanto Bozo tem 59%.

Diante de todo esse quadro e pelas projeções através de cálculos estatísticos a virada é possível, porém o tempo é curto, é preciso acelerar o processo. As campanhas de rua, “atos da virada” e propaganda na tv já fizeram sua parte.

Nestes dois dias que faltam, é preciso botar a militância nas ruas é no corpo a corpo é que será definida a eleição e isso a esquerda tem de sobra. Os votos necessários estão na periferia é preciso ir buscá-lo. Então vamos arregaçar as mangas e pé na estrada. E até a vitória e sempre, camaradas!

 

 

 

 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!