Porque Stalin não reagiu ao ataque americano ao aeroporto soviético

Em 8 de outubro de 1950, duas aeronaves americanas atacaram o aeroporto soviético, localizado perto da vila de Sukhaya Rechka, no distrito de Khasansky, no Território de Primorsky (extremo leste da Sibéria). O incidente foi extremamente grave. No entanto, a União Soviética reagiu de forma surpreendentemente moderada a este evento.

Lembrando que naquele tempo houve uma guerra na Coréia, na qual a União Soviética e os Estados Unidos participaram ativamente em lado oposto. No entanto, a participação soviética era muito menos ambiciosa quando se trata de ações militares.

As aeronaves americanas era essencialmente a quase totalidade da Força Aérea da Coréia do Sul. Portanto, eles foram encarregados de todas as tarefas para esse tipo de tropa, do reconhecimento às posições de bombardeio na retaguarda dos norte-coreanos.

Na verdade, em 8 de outubro, os dois pilotos do Lockheed F-80 Shooting Star  foram incumbidos de atingir um aeródromo norte-coreano em Cheongjin. No entanto, eles erraram a rota e mergulharam profundamente no território soviético por quase 100 quilômetros. E eles atacaram o aeroporto de Sukhaya Rechka, que foi confundido com o norte-coreano. Pelo menos, um dos pilotos disse isso mais tarde. Queixou-se de que o tempo para localizar o aeroporto norte-coreano estava no limite pois o combustível estava acabando.

Naquela época, duas dúzias de aeronaves americanas R-39 e R-63 estavam baseadas no aeroporto soviético. Ironicamente, os EUA através do programa Lend Lease, forneceu a URSS essas aeronaves. Esses aviões foram usados ​​para treinar jovens pilotos. Como resultado do bombardeio, sete aeronaves foram danificadas, das quais uma Bell P-63 Kingcobra foi completamente destruído como resultado do ataque. Felizmente, não houve feridos.

O lado soviético decidiu não alimentar o conflito, limitando-se a protestos diplomáticos. Na verdade, os americanos também não insistiram em negar o incidente. Duas semanas depois, o próprio presidente Harry Truman reconheceu o ataque, e expressou prontidão para compensar os danos e prometeu levar os pilotos culpados ao tribunal.

Os próprios pilotos – Olton Kwonbeck e Allen Diefendorf – relataram um erro de navegação devido às más condições climáticas. A propósito, o incidente não afetou a carreira dos pilotos.

Fonte: Rusday

 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 4 =