Presidente do Afeganistão escapa de um atentado em que houve 22 mortos

A polícia afegã inspeciona o local do ataque suicida em um ato de campanha do presidente Ashraf Ghani, hoje na província de Parwan. Ap foto

Pelo menos 22 pessoas morreram e 38 ficaram feridas em um ataque na manhã de terça-feira (17/09) no centro de Cabul e reivindicado pelo Talibã, informou o Ministério do Interior.

“Vinte e duas pessoas, incluindo seis membros das forças de segurança, morreram e 38 outras ficaram feridas neste ataque terrorista”, afirmou o ministério em comunicado. Em outro ataque suicida cometido terça-feira na província de Parwan (centro) e também reivindicado pelo Talibã, pelo menos 26 pessoas morreram.

Poucas horas depois, outra explosão foi registrada perto da embaixada dos EUA em Cabul, mas, no momento, não há maiores detalhes até o momento. O Talibã assumiu a responsabilidade pelos dois ataques.

Os ataques ocorreram na véspera das eleições presidenciais de 28 de setembro, eleições às quais os talibãs se opõem. O grupo insurgente alertou a população para não comparecer às urnas e anunciou que atacaria centros de votação e comícios.

No ataque de terça-feira, um homem-bomba explodiu sua motocicleta contra a entrada das instalações onde Ghani realizou um comício, nos arredores de Charakar, uma cidade na província de Parwan, no norte.

Entre as vítimas havia muitas mulheres e crianças, disse o Dr. Qasim Sangin, uma autoridade local.

O ataque ocorreu logo após o início do ato de campanha do presidente, disse Wahida Shahkar, porta-voz do governador de Parwan.

Imagens do incidente transmitido pelo programa de televisão local mostraram o corpo e os restos queimados de veículos policiais e militares que aparentemente estavam perto do local da poderosa explosão.

Por outro lado, Firdaus Faramarz, porta-voz do chefe de polícia de Cabul, disse que não havia informações imediatas sobre vítimas ou feridos no incidente na capital, que ocorreu perto da Praça Massood, um cruzamento movimentado no centro. Nessa área estão os complexos da OTAN e dos Estados Unidos, bem como vários ministérios afegãos.

O porta-voz do Taliban, Zabihullah Mujahid, disse em comunicado que os ataques foram perpetrados por homens-bomba.

Em Parwan, Mujahid explicou que o homem-bomba atacou os seguranças presidencial de Ghani, bem como outros membros das forças de segurança. Não ficou claro imediatamente se as vítimas incluíam membros da escolta presidencial.

Segundo Mujahid, o atentado suicida em Cabul foi destinado a uma base do exército afegão.

A campanha presidencial foi retomada na semana passada depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou o fim do diálogo que Washington e o Talibã mantiveram no Catar por meses.

A maioria dos aspirantes a presidente suspendeu suas campanhas durante as negociações e o enviado para a paz dos EUA, Zalmay Khalilzad, disse que foi alcançado um acordo que só faltava a assinatura.

Apesar dos ataques em solo afegão, o Talebã continua buscando apoio internacional.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco + 11 =