Repressor da ditadura comparece à Justiça no Uruguai

Carlos Chaine Díaz trabalhava no 5º Regimento de Cavalaria Mecanizada de Tacuarembó e foi denunciado como torturador

ditadura
45 anos depois, justiça é feita para quatro uruguaios presos e torturados. | Foto: AA

O ex-tenente do Exército uruguaio, Carlos Chaine conhecido como “El Chajá”, compareceu em juízo em processo aberto pela juíza do departamento de Tacuarembó, Carla Gómez, por acusações como privação de liberdade, diversos constrangimentos físicos e cruel, tratamento desumano ou degradante.

Quase meio século depois, a justiça é feita a quatro pessoas detidas e torturadas durante a ditadura que durou de 1973 a 1985.

Em fevereiro de 1976, os militantes comunistas Emilio Toribio, Ariel Zapata, Carlos Pintos e Julio Basualdo, foram presos e levados para a Penitenciária de Libertad, onde permaneceram até dezembro de 1977.

De acordo com o juiz Gómez, as quatro vítimas foram “encapuzados e submetidas a tortura e recebiam comida e bebida de má qualidade ou nenhuma, bem como acesso limitado ao banheiro”.

Para o juiz, a conduta do réu viola o artigo 26 da Constituição, que proíbe o uso de prisões para os fins mencionados, e está enquadrada no artigo 286 do Código Penal.

Durante a ditadura cívico-militar do Uruguai (1973-1985), estima-se que ocorreram mais de 400 assassinatos, dos quais aproximadamente 190 pessoas continuam desaparecidas.

Fonte: telesur

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!