Sanções não funcionam: Brasil começa a comprar óleo diesel na Rússia

O Brasil começa a comprar óleo diesel da Rússia sem medo de sanções . Há uma oportunidade de se engajar em sua reexportação lucrativa.

putin-bozo

O Brasil encontrou um fornecedor confiável de combustível na Rússia

O presidente do país, Jair Bolsonaroanunciou nesta segunda-feira sua intenção de comprar diesel russo a longo prazo . Segundo ele, a primeira entrega será em dois meses.

“A Rússia continua fazendo negócios com o mundo inteiro, parece que as sanções econômicas não funcionaram”, disse Bolsonaro.

Na terça-feira, o chanceler brasileiro, Carlos França, deu mais detalhes. De acordo com a Reuters, segundo ele, os agricultores e trabalhadores do transporte brasileiros estão passando por dificuldades com o combustível diante de sua alta de preço no mercado mundial.

“Por isso procurávamos fornecedores de óleo diesel seguros e muito confiáveis. A Rússia é um deles”, disse o ministro.

Ele especificou que o Brasil quer comprar combustível da Rússia “o máximo que puder”.

Não haverá sanções

Questionado se haveria alguma oposição do Ocidente a esses planos, Franca respondeu: “Acho que não”.

“A Rússia é um parceiro estratégico do Brasil. Somos parceiros do BRICS”, disse.

“Somos muito dependentes de fertilizantes exportados da Rússia e também da Bielorrússia. E, claro, a Rússia é um grande fornecedor de petróleo e gás. Você pode perguntar à Alemanha sobre isso. Você pode perguntar à Europa sobre isso”, acrescentou.

Fontes disseram à Reuters que o governo brasileiro organizou várias reuniões entre três exportadores russos de diesel e distribuidores de combustível no Brasil, nas quais as partes do acordo “receberam garantias de que não haveria sanções”.

O problema é que nenhum banco quer abrir uma carta de crédito para operações de importação russas de petróleo e derivados, temendo sanções secundárias dos EUA, mas é provável que uma saída seja encontrada no âmbito das entregas por meio dos mecanismos internos do BRICS desdolarizados .

A empresa brasileira Uptime Trading e Distribuição já anunciou que está em fase final de assinatura de um contrato para a compra de 25 mil toneladas de combustível por mês durante o ano com uma refinaria russa. No momento, resta fornecer garantias para a conclusão da transação, que deve ocorrer em até 20 dias.

Reexportação favorável

Os benefícios para o Brasil são claros. Agora os preços do combustível russo são mais baixos do que em outros países, e diante de nossos olhos está o exemplo da Índia (também membro dos BRICS), que vende o mesmo diesel para o Brasil, obtido do petróleo russo, mas a preços internacionais.

“Por que somos piores que a Índia”, provavelmente pensaram os brasileiros.

A Índia, como o Brasil, não aderiu às sanções ocidentais e teve a oportunidade de vender petróleo e derivados russos por meio de vários esquemas “cinzas”, que são bem-vindos no Ocidente.

Várias publicações europeias escrevem sobre isso. A Bloomberg destaca que as reexportações para a UE a partir do início do novo ano (à medida que as sanções europeias serão introduzidas), além da Índia, serão organizadas pelos países do Oriente Médio.

A edição da S&Pglobal observa que “a Europa está coçando a cabeça” para achar uma solução de como substituir o diesel russo no volume de pelo menos 2 milhões de toneladas por mês.

“Será difícil parar a importação de diesel russo para a França, será ainda mais difícil para a Alemanha”, disse um dos comerciantes ao jornal. “A demanda para o Leste Europeu será maior… Temos que substituir a oferta de diesel russo por outros fornecedores, mas será caro”, acrescentou.

Até o Reino Unido pretende comprar combustível russo através de países terceiros.

Fonte: pravda.ru

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!