Senado presta homenagens ao educador Paulo Freire

“Energúmeno é um presidente misógino, preconceituoso, sexista, homofóbico, racista, que passa uma reforma da Previdência para aumentar a desigualdade, que só beneficia banqueiros, empresários e a União e que só tem como objetivo tirar direito dos mais pobres”, disse o senador

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) foi um dos signatários da homenagem a Paulo Freire

As ofensas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao educador Paulo Freire renderam-lhe o desagravo, no Senado. A Casa aprovou, na noite passada, o requerimento do líder do PDT, Weverton (MA), e outros parlamentares – inclusive o líder do governo no Congresso, Eduardo Gomes (MDB-TO), para uma sessão especial ao patrono da educação brasileira, autor da Pedagogia do Oprimido, entre outras obras.

— Acho que o presidente tinha que limpar a boca antes de falar no nosso mestre da educação — reagiu o senador Fabiano Contarato (Rede-AP). A sessão deverá ser realizada em maio, no mês em que a morte de Freire completará 23 anos.

TV Escola

Ainda segundo o parlamentar, “energúmeno é um presidente misógino, preconceituoso, sexista, homofóbico, racista, que passa uma reforma da Previdência para aumentar a desigualdade, que só beneficia banqueiros, empresários e a União e que só tem como objetivo tirar direito dos mais pobres”.

— Energúmeno é um presidente que não age como um verdadeiro estadista, que não sabe respeitar as instituições — acrescentou Contarato, usando o adjetivo que Bolsonaro usou, na manhã passada, para se referir a Freire. Não satisfeito, ele ainda afirmou que a TV Escola “deseduca os brasileiros”.

Lata de lixo

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) também lembrou que o educador de origem pernambucana é referência em todo o mundo e reconhecido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

— Paulo Freire é reconhecido pela Unesco, não como homem, não somente pela sua condição humana, mas, em especial, pela obra que ele empreendeu para a educação, principalmente dando luz a uma teoria nova, chamada Pedagogia do Oprimido. Quem é Paulo Freire? Quem é o senhor Jair Bolsonaro? O lugar de um, o panteão dos heróis da história. O lugar de outro, a lata do lixo da história, para onde ele caminha a passos largos — apontou.

Fonte: CdB

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − 18 =