A economia israelense despencou 20 por cento após 7 de outubro

O Eixo da Resistência desempenhou um papel significativo no impacto econômico infligido a Israel

fotos
Reprodução

O Produto Interno Bruto (PIB) de Israel despencou quase 20 por cento nos últimos meses de 2023, de acordo com dados estatísticos recentemente divulgados. 

A economia israelita encolheu a uma taxa anual de 19,4 por cento no quarto trimestre do ano passado, mostram dados do Gabinete Central de Estatísticas de Israel, divulgados em 19 de Fevereiro. 

De acordo com os dados , a economia israelita cresceu apenas 2% durante todo o ano de 2023, em oposição ao crescimento de 6,5% em 2022. 

A importação de bens no conjunto do ano caiu 6,9 por cento, depois de ter crescido 12 por cento em 2022, enquanto a exportação de bens e serviços caiu 1,1 por cento em 2023, em oposição ao aumento de 8,6 por cento no ano anterior. 

A redução de 19,4% é quase 10% inferior à previsão mediana da Bloomberg de 10,5%. 

Esta é a primeira avaliação oficial que mostra o impacto da guerra em Gaza no PIB israelita.  

Só a convocação de tropas reservistas no início da guerra resultou num esgotamento de 8% da força de trabalho israelita. De acordo com um relatório do Banco de Israel de Novembro, o custo da mobilização de reservas ascendeu a 630 milhões de dólares por semana. 

Financial Times (FT) também informou nesse mês que Israel acumulou bilhões de dólares em dívidas nas primeiras semanas da guerra. 

Israel também enfrenta níveis significativos de desemprego. Cerca de 260 mil israelenses solicitaram benefícios de desemprego desde o início da guerra. 

“Há cerca de dois milhões de israelenses vivendo abaixo da linha da pobreza”, informou o canal  hebraico Makan no final de dezembro de 2023.

O Eixo da Resistência desempenhou um papel significativo nos custos crescentes sofridos por Israel, especialmente nos ataques iemenitas aos navios israelitas no Mar Vermelho, que fizeram cair as receitas do porto de Eilat em 80 por cento, segundo relatórios do ano passado. 

O Hezbollah do Líbano infligiu perdas semelhantes aos colonatos do norte de Israel, onde as vendas caíram 70 por cento desde Outubro. Centenas de milhares de israelenses foram forçados a fugir do norte. 

“Os riscos para Israel nunca foram tão altos. A economia colonial de Tel Aviv, dependente da subjugação dos palestinos, pode estar a enfrentar um futuro precário, possivelmente marcando o próximo dominó a cair neste cenário em desenvolvimento”, escreveu Kit Klarenberg , do The Cradle , em Novembro. 

Related Posts
Sobre Israel e estupro
fotos

As duvidosas alegações de violação de Tel Aviv contra o Hamas escondem a chocante crise de violência sexual doméstica de [...]

Invasão da embaixada mexicana no Equador: Colapso do direito internacional
fotos

O mundo acompanhou com espanto conforme a polícia equatoriana de Quito invadia a Embaixada Mexicana no país para cumprir um [...]

Um “inimigo comum” coletivo agora persegue a humanidade
fotos

Os assassinos em série psicopatas, utilizando os seus vastos recursos financeiros, políticos e mediáticos, estão inexoravelmente a pôr em prática [...]

Como se desenvolve o mercado da eutanásia no Ocidente
fotos

Entre as medidas práticas para controlar os níveis populacionais no Ocidente, a ideia da eutanásia é ativamente promovida. O trabalho [...]

O Ocidente insiste em tentar inventar um novo “caso Guaidó”
fotos

Talvez achar que a insistência possa compensar a falta de competência, já que corporações midiáticas, ONGs e governos atlantistas decidiram [...]

A OTAN está a perder a guerra por procuração contra a Rússia
fotos

Uma derrota de Washington e dos seus parceiros da NATO na Ucrânia seria um desastre político para as potências ocidentais. [...]

Compartilhar:

Deixe um comentário

error: Content is protected !!