A Síria deixa de ser canteiro do terrorismo internacional

De acordo com o presidente russo, o nível de violência na Síria caiu substancialmente, as pessoas estão retornando à vida civil e o processo político inclusivo patrocinado pela ONU está em andamento
 O trabalho para um acordo na Síria conduzido pela Rússia junto com o Irã e a Turquia está mostrando sua eficácia, o foco do terrorismo internacional foi realmente eliminado, disse o presidente russo, Vladimir Putin, na segunda-feira, durante reunião realizada com seu homólogo sírio Bashar al-Assad via videoconferência.

Putin enfatizou que a Rússia continuou a fazer esforços vigorosos “para promover um acordo de longo prazo na república síria, restaurar sua soberania, independência, unidade e integridade territorial”.

“A este respeito, não se pode deixar de notar o trabalho efetivo realizado no âmbito do formato Astana envolvendo nossos parceiros do Irã e da Turquia”, afirmou o líder russo. “Conseguimos muito por meio de esforços conjuntos: o foco do terrorismo internacional na Síria foi realmente eliminado.”

De acordo com Putin, o nível de violência na Síria caiu substancialmente, as pessoas estão retornando à vida civil e o processo político inclusivo patrocinado pela ONU está em andamento.

Trabalho de reconstrução

Mais de 6,5 milhões de refugiados permanecem fora da Síria, enquanto a maioria deles poderia participar da reconstrução do país, disse o presidente russo, Vladimir Putin, ao seu homólogo sírio Bashar al-Assad.

De acordo com Putin, “a reconstrução pós-conflito da Síria é muito importante nesta fase, que se refere principalmente ao retorno de refugiados sírios e pessoas deslocadas internamente”. “Infelizmente, mais de 6,5 milhões de refugiados permanecem fora da Síria”, observou Putin, acrescentando: “A maioria deles são pessoas saudáveis ​​que podem e devem se envolver na reconstrução de seu país.”

O presidente russo destacou que o retorno dos refugiados é do interesse dos países anfitriões, em primeiro lugar, dos vizinhos da Síria que enfrentam um fardo pesado. “Eles têm que arcar com despesas consideráveis, fornecendo acomodação temporária e necessidades básicas para os sírios”, explicou Putin. “Sem falar do fato de que jovens refugiados muitas vezes caem sob a influência de radicais, ingressam em fileiras militantes e podem representar uma ameaça aos países anfitriões”, acrescentou.

O presidente russo acrescentou que, em 2018, ele havia convocado a comunidade internacional para apoiar o processo de retorno dos refugiados iniciado pelo presidente e governo sírios. “Naquela época, você e eu concordamos em aumentar a cooperação neste campo, em particular, os centros de coordenação entre agências foram estabelecidos”, disse Putin.

Ele enfatizou que medidas para melhorar as condições de trabalho e de vida e remover obstáculos políticos, sociais e psicológicos estão sendo tomadas na Síria. “Mais de 850.000 cidadãos sírios retornaram do exterior e mais de 1,3 milhão de pessoas retornaram aos locais de sua residência permanente no país”, enfatizou Putin, acrescentando que a escala do desastre humanitário na Síria continua significativa.

Fonte: TASS

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!