Bolsonaro, o gesto da arma na Marcha para Jesus e a risada cafajeste dos pastores.

fotos
Os pastores riram gostosamente

Há muito pouco a escrever a respeito do gesto que Jair Bolsonaro fez durante a Marcha para Jesus, em São Paulo. Ele simulou executar alguém caído, e essa imagem diz tudo. Não há nada mais anticristão: atirar em alguém caído.

Mas, ao se observarem detalhes dessa cena com mais atenção, vai se perceber que a igreja evangélica presente nesse evento emite outros sinais de que se transformou em qualquer coisa menos portadora do que se entende por mensagem do evangelho.

E não se está falando da logomarca da Marcha, que parece um pênis dourado sendo masturbado. Não é isso, ao contrário do que notaram internautas na rede social que pensam que evangélicos não têm desejo sexual e o imaginam como seres angelicais.

Ou pelo menos exigem que assim pareçam. A imagem do pênis dourado está na cabeça de quem vê ou, vá lá, parece mesmo, mas foi só o descuido do desenhista, e dos pastores que aprovaram a imagem. Não viram direito.

O que chama a atenção na foto é o sorriso de cafajeste que os líderes na igreja dão quando Bolsonaro simula matar alguém. Bispa Sônia tinha acabado de repetir o slogan da campanha “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos” e destacava qualidades que ele diz enxergar no convidado de honra:

“Pela primeira vez na presidência do Brasil, a família foi honrada, o presidente subiu ao palanque com a sua esposa e deu voz à sua esposa”.

Já ninguém ouvia a bispa. Todos riam um sorriso largo, gostoso, com Bolsonaro, todos eles vestindo camisa Lacoste, bem diferente da marca da camiseta que o crente usava lá embaixo.

Assim é a liderança, assim é o rebanho. Rebanho pobre ou remediado, pastores milionários.

Seus líderes, que conhecem o texto bíblico, certamente, não acreditam no que leem, pois devem saber o que Pedro escreveu, dois mil anos atrás:

Muitos seguirão seus falsos ensinos e práticas libertinas, e por causa dessas pessoas, haverá difamação contra o Caminho da Verdade. Movidos por sórdida ganância, tais mestres os explorarão com suas lendas e artimanhas. Todavia, sua condenação desde há muito tempo paira sobre eles, e sua destruição já está em processo. 

Ao serem confrontados por textos assim, os líderes devem rir bastante. Do contrário, teriam se escandalizados com a mensagem de violência implícita no gesto de Bolsonaro, o presidente que, gostosamente, ajudaram a eleger e a quem apoiam, também gostosamente.

Do DCM

Related Posts
Empresas “donas da água” no Brasil pagaram 5 centavos para cada 10 mil litros captados
fotos

Cobrança pelo uso da água, criada para promover uso racional do recurso, ainda engatinha no país [...]

Educação é principal foco de projetos de lei conservadores na Câmara
fotos

A educação é o tema mais recorrente dos projetos de lei apresentados por políticos considerados católicos ou evangélicos, na Câmara [...]

Cemitérios privatizados de SP cobram até dez vezes mais para reenterrar mortos da covid
fotos

A mãe da jornalista Ludmila Pizarro foi uma das quase 47 mil vítimas fatais da covid-19 em São Paulo no [...]

“A justiça ainda não foi feita”, diz viúva do músico Evaldo Rosa
fotos

Julgamento de militares que assassinaram músico com tiros de fuzil no Rio de Janeiro será realizado nesta quinta no STM

Multas por desmatamento na Amazônia caem 90% em janeiro com protesto de fiscais do Ibama
fotos

Após um ano de intensa fiscalização, que teve como resultado mais visível a queda de 50% nos alertas de desmatamento [...]

Quais são as organizações que promovem “terapias” de conversão sexual no Brasil
fotos

Filho e neto de pastores, Betuel, 23 anos, foi coagido a participar de cultos de libertação da Igreja Quadrangular quando [...]

Compartilhar:

Deixe um comentário

error: Content is protected !!