Cabo do Exército é preso por desvio de armas e munições à traficantes

Foto – AFP

Para quem tinha dúvida ou não são sabia de como as armas de grosso calibre chegam nas mãos de traficantes eis uma reportagem do G1.

Um cabo do Exército foi preso por suspeita de desviar armas e munição de grosso calibre do quartel onde trabalha, em Olinda, para vender a traficantes de drogas na madrugada desta sexta-feira (18). Segundo a Polícia Civil, foram apreendidos três fuzis calibre 7.62, 101 cartuchos intactos de mesmo calibre, um revólver calibre 38 e três munições intactas de calibre 50.

As operações ocorreram em Olinda e em Abreu Lima, na Região Metropolitana do Recife. Também foram apreendidas 120 gramas de cocaína, 353 gramas de crack, um radiocomunicador e uma balança de precisão.

O cabo do Exército não teve o nome e a idade divulgados. As ações foram realizadas por equipes da Delegacia de Homicídios da Região Metropolitana Norte e da 9ª Delegacia de Homicídios de Olinda, em parceria com a Polícia Militar e com o Exército.

“A gente conversou com o pessoal do Exército e ele já estavam também com inquérito em aberto para investigar esse cabo. Juntamos as informações e deflagramos a operação”, afirmou o delegado João Leonardo.

De acordo com a Polícia Civil, ao ser preso, o cabo indicou pessoas para as quais teria vendido armas e apontou os endereços das residências de eventuais compradores. Na casa dele, os policiais encontraram o revólver calibre 38, que não tem registro, e diversos cartuchos de munição de calibre restrito.

“Conseguimos encontrar o fuzil em uma das casas que ele mesmo indicou. O cabo já estava de posse de armamento restrito na sua casa de forma irregular”, disse o delegado.

Nos imóveis onde foram encontradas as drogas e as armas, não havia nenhum morador. No entanto, eles foram identificados e responderão a inquérito policial.

O militar foi autuado em flagrante pela posse de munição de calibre restrito e posse irregular de arma de fogo. Após audiência de custódia no Fórum de Olinda, ele foi levado para o Sétimo Grupo de Artilharia de Campanha – Regimento Olinda, onde fica à disposição da Justiça Militar.

“Ele está preso no quartel por causa do desvio do armamento e dessas munições e vai responder à Justiça Militar. Na Polícia Civil, ele vai responder pelo flagrante do [revólver] 38 das e das munições de uso restrito”, acrescentou o delegado.

G1 entrou em contato com o Comando Militar do Nordeste e aguarda retorno.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × três =