Carmen Lúcia e a prisão após segunda instância

   

Apesar da resistência, e numa manobra para aliviar a pressão sofrida, assim como para evitar maiores constrangimento dentro próprio STF,  a presidente do STF Carmen Lúcia decidiu colocar em plenário o julgamento do habeas corpus de Lula.

O lógico seria colocar em pauta o tema da prisão em segunda instância dada a sua precedência e abrangência.

No pensamento da presidente, o julgamento do habeas corpus de Lula com certeza suscitará maior polêmica e a chance de ser rejeitado é maior do que o própria revisão da prisão em segunda instância.

Neste momento a pressão passa para os ministros favoráveis a manter o texto constitucional.

A Constituição Federal é clara: “Ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado da sentença condenatória”.

Até dia o 4 de abril muita água vai rolar debaixo da ponte, há muitos interesses em jogo, só a pressão popular poderá evitar a prisão imediata e a posterior condenação de Lula no STF.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 5 =