CIA envolvida na invasão à embaixada da Coreia do Norte em Madrid

Um fato grave de invasão à embaixada da República Popular Democrática da Coréia, perpetrada pela CIA e serviço secreto da Coréia do Sul ocorrido em 22 de fevereiro só agora chega imprensa!

fotos
Carro da Guardia Civil de vigia perto da embaixada da Coreia do Norte em Madrid SERGIO PEREZ

Pelo menos duas das dez pessoas que assaltaram a embaixada da Coreia do Norte em Madrid estão ligadas à CIA e terão tido ajuda dos serviços secretos da Coreia do Sul, revelou esta quarta-feira o jornal “El País”, citando fontes da secreta espanhola. MNE espanhol não quis comentar o assunto

Pelo menos dois dos dez assaltantes, que agrediram e interrogaram as oito pessoas que estavam na embaixada, foram identificados e têm vínculos com os serviços secretos americanos (CIA)”, avança esta quarta-feira o “El País”. O jornal cita fontes policiais e do Centro Nacional de Inteligência (CNI), os serviços secretos espanhóis.

O ministro das Relações Exteriores da Espanha, Josep Borrell, não quis esta quarta-feira comentar a notícia. “Ontem quando saí de Madrid não tinha esta informação. Desconheço sua origem e sua veracidade e, se a tivesse, não poderia comentar”, declarou Borrell em conferência de imprensa em Belgrado, citado pela agência noticiosa espanhola EFE.

O “El País” acrescenta que as autoridades espanholas pediram explicações sobre o sucedido à CIA, mas que a resposta dada pela secreta norte-americana “foi negativa e pouco convincente”. Segundo as fontes citadas pelo jornal, a CIA terá agido “em provável colaboração” com agentes dos serviços secretos da Coreia do Sul.

O assalto à embaixada da Coreia do Norte em Madrid ocorreu a 22 de fevereiro e teria como objetivo a recolha de informação sobre o embaixador e chefe da delegação norte-coreana para as negociações com os Estados Unidos. Pelas 15 horas desse dia, 10 homens encapuzados e com “armas falsas” amarraram e interrogaram os oitos funcionários presentes.

Algum tempo depois, os assaltante que levaram apenas telefones móveis e ficheiros informáticos usaram dois carros da própria embaixada para abandonar o local. Descrito como uma operação de comandos pela sua rapidez de execução, o assalto ocorreu cinco dias antes da Reunião de Cúpula entre Donald Trump e Kim Jong-un.

Mas pouco ou nada se soube até agora, tendo as autoridades espanholas admitido apenas que uma cidadã norte-coreana teria sido ligeiramente ferida na via pública, perto da embaixada localizada no bairro madrileno de Aravaca.

Do Expresso pt

 

 

 

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!