Cientista diz que não há esperança de imunidade de rebanhos após pesquisa de anticorpos

Segundo o estudo, apenas 12% a 12,5% dos moscovitas examinados têm anticorpos contra o coronavírus no sangue

Moscou
Foto: OPP

A parcela de moradores de Moscou com anticorpos contra o coronavírus é muito pequena para contar com imunidade ao rebanho, o que indica mais uma vez que uma vacina é necessária, diz Vladimir Chekhonin, vice-presidente da Academia Russa de Ciências.

“As medições realizadas em Moscou revelaram que 12% a 12,5% dos residentes nesta área têm anticorpos [coronavírus] no sangue. Isso, é claro, não é suficiente para desenvolver uma imunidade de rebanho”, disse Chekhonin.

O cientista ressaltou que isso prova a importância de uma vacina capaz de “fornecer a um grupo de pessoas a base necessária para desenvolver a imunidade contra o coronavírus”.

No dia 11 de março de 2020, a OMS declarou pandemia o surto de coronavírus. Segundo as estatísticas mais recentes, mais de 5.925.000 pessoas foram infectadas em todo o mundo e mais de 362.000 mortes foram relatadas. Além disso, até agora, mais de 2.593.000 indivíduos se recuperaram da doença em todo o mundo.

Fonte: Agência TASS – Tradução OPP

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − dezoito =