Cientistas dos EUA pretendem ressuscitar mamutes

A ressurreição de espécies extintas é fundamental para os filmes da saga Jurassic Park. Agora, o conto de fadas de Hollywood pode se transformar em realidade.

mamute
Os pesquisadores esperam que os mamutes possam ajudar a combater as mudanças climáticas.

Cientistas americanos pretendem em trazer mamutes lanosos de volta milhares de anos depois que os gigantes desapareceram do Ártico. Com US $ 15 milhões em financiamento para o projeto, o professor de genética de Harvard, George Church, conhecido por seu trabalho pioneiro em sequenciamento de genomas e emenda (splicing) de genes, espera que não esteja longe a era em que os mamutes “caminharão na tundra ártica novamente”.

“Estamos trabalhando para resgatar as espécies que deixaram uma lacuna no ecossistema quando se extinguiram”, disse a Colossal, empresa que atua na conservação de espécies ameaçadas de extinção.

Na verdade, os cientistas vão criar uma nova espécie – será um híbrido criado usando a ferramenta de edição de genes CRISPR-Cas9. Fragmentos de DNA de mamute congelado e DNA de um elefante asiático, o parente mais próximo do mamute, serão usados.

Como os mamutes podem ajudar a resolver problemas ambientais

No passado, os mamutes raspavam camadas significativas de neve ao caminhar, como resultado, a penetração de ar frio no solo poderia manter o permafrost. Depois que eles desapareceram, a neve acumulada atuando como isolamento natural fez com que o permafrost derretesse, liberando gases de efeito estufa, disse Church. Presumivelmente, o retorno dos mamutes poderia reverter essa tendência.

Mas mesmo que os pesquisadores possam trazer os mamutes de volta, a pergunta óbvia é: eles deveriam fazer isso? Afinal, ao menos, ninguém cancelou os princípios éticos da Ciência.

Joseph Frederickson, paleontólogo e diretor do Museu Weiss de Ciências da Terra em Menashe, foi inspirado quando criança pelo filme Jurassic Park original. Mas mesmo ele acredita que é mais importante prevenir a extinção das espécies modernas, e não ressuscitar os dinossauros.

“Se você pode criar um mamute ou elefante que pareça uma boa réplica de um mamute, então você poderia fazer muito por um rinoceronte branco ou um panda gigante”, observa ele.

Em 2015, Beth Shapiro, paleogeneticista da Universidade da Califórnia e autora de How to Clone a Mammoth: The Science of Extinction, declarou: “Não quero que os mamutes voltem”.

Os oponentes da ressurreição apresentam outro argumento: o ecossistema se adaptou à sua ausência, e não é um fato que os mamutes serão capazes de se adaptar às novas condições.

Frederickson acredita que o tema da ressurreição dos mamutes é alimentado pela cultura pop e pelas conquistas reais da ciência.

“Acho que nós, humanos, nos sentimos culpados por saber que quase certamente contribuímos para a extinção de muitas espécies. A ressurreição pode ser uma maneira de nos livrarmos desse fardo”, diz ele.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!