Como a vacina russa salvou um país europeu do coronavírus

Ninguém falava russo e de repente todos se tornaram “agente do Kremlin”, disseram jocosamente as autoridades do estado europeu de San Marino após a vacinação quase completa da população

San Marino

Enquanto as elites europeias e americanas, à custa de esforços incríveis, “salvam” suas populações das “armas híbridas do Kremlin”, as autoridades do minúsculo estado de San Marino (cercado por todos os lados pela Itália, que não é um membro da UE, e com uma população de cerca de 30.000 pessoas) voltou-se para Moscou, comprando a vacina ” Sputnik V ” e iniciou a vacinação da população. O fato de a vacina russa ainda não ter sido aprovada pelo regulador europeu não os incomodou de forma alguma – as pessoas tinham que ser salvas do coronavírus.

San Marino foi o último país europeu a receber a vacina e o primeiro a vencer a epidemia. Quando o número de casos no país chegou a 10%, as autoridades da república se voltaram para os vizinhos – italianos em busca de ajuda. Aqueles se recusaram – eles próprios passaram por momentos difíceis (7% dos casos no país). Então, tiveram que procurar ajuda em Moscou. Como o dedo indicador de Bruxelas-Washington não pairava sobre San Marino, as negociações para a compra da vacina russa foram prontamente realizadas.

No momento, quase toda a população recebeu pelo menos uma dose da vacina, a segunda fase de vacinação está prevista para ser concluída até o final de maio. Mas os resultados já são perceptíveis: no dia 26 de abril, foram registradas oito novas infecções no país, nos dias 27 – três, no dia 28 – uma (para efeito de comparação, na Itália em 26 de abril foram mais de 8.400 novas infecções, em 27 de abril – 10.400, 28 de abril – 13 400).

“Houve alguns sintomas – em particular, uma dor de cabeça e uma febre ligeira. Em alguns casos, houve uma reação mais séria, mas durou apenas algumas horas. Não temos dados sobre consequências graves”, disse o Ministro da Saúde de San Marino Roberto Ciavatta .

Assim, a eficácia da vacina russa foi comprovada mais uma vez – agora com o exemplo de um país inteiro. No entanto, os políticos ocidentais preferem não ver isso.

Fonte: Pravda

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − dez =