Ex-ministro da Justiça bolsonarista segue preso após audiência de custódia

Anderson Torres
Reprodução

A audiência de custódia do ex-ministro da Justiça e ex-secretário de Segurança Pública do DF, Anderson Torres, foi concluída na tarde de hoje (14) e ele seguirá preso. Torres foi detido ao desembarcar nesta manhã no Aeroporto Internacional de Brasília e conduzido para o 4º Batalhão da Polícia Militar do Distrito Federal.

Ainda não há informações se Torres permanecerá detido no nesse batalhão ou se seguirá para outra unidade prisional. O UOL apurou que o Ministério Público Federal opinou pela continuidade da prisão.

A audiência de custódia permite ao preso ser ouvido por um juiz, que avalia se houve eventuais ilegalidades na prisão. A audiência de Torres foi conduzida pelo desembargador Airton Vieira, do gabinete do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal. O criminalista Rodrigo Roca, que defende Torres, chegou ao local pouco depois das 12h30 para acompanhar o cliente.

Torres desembarcou no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília. Ele estava na Flórida, nos Estados Unidos.

De acordo com apuração da analista da CNN Basília Rodrigues, Torres foi o primeiro a descer do avião e foi recebido por um delegado da Polícia Federal (PF). Ele foi levado diretamente do avião para o hangar da PF.

O ex-ministro do governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) teve a prisão preventiva decretada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes na última terça-feira (10). Ele é alvo de uma investigação sobre a atuação das forças de segurança durante a invasão promovida por bolsonaristas nas sedes dos três Poderes, em Brasília.

Após deixar o Ministério da Justiça ele havia assumido a secretaria do DF no dia 2 e, logo em seguida, saiu de férias. Nomeado por Ibaneis Rocha, governador afastado, ele era responsável pela pasta quando apoiadores do ex-capitão invadiram os prédios do Congresso, do Supremo Tribunal Federal e o Palácio do Planalto.

Há a suspeita que Torres tenha atuado para facilitar a ação dos terroristas bolsonaristas. O coronel Fábio Augusto Vieira, então comandante da PM do DF, também teve a prisão decretada por Moraes e já se entregou. O magistrado destacou ver “fortes indícios” de que eles foram “coniventes” com os atos golpistas em Brasília.

O ex-ministro chegou à capital federal no voo 7749, da Gol. Ele, escoltado por policiais, embarcou na noite desta sexta-feira (13), no aeroporto de Miami.

Fonte: DCM
Related Posts
Delação de assassino de Marielle joga luz sobre as relações das milícias com autoridades
fotos

A morte de Marielle teria sido encomendada pelos Brazão por causa de sua atuação nas comunidades, em especial em Jacarepaguá

Os judeus e o comunismo na cultura brasileira
fotos

Mesmo com toda a romantização do Holocausto e com uma intensa presença da esquerda na vida cultural, as questões do [...]

Marielle, milícias e mais: relatórios de inteligência da intervenção militar no RJ sumiram
fotos

O resultado da investigação da Polícia Federal (PF) sobre o assassinato da ex-vereadora do PSOL Marielle Franco e do motorista [...]

Como Eduardo Bolsonaro e comitiva articulam com parlamentares dos EUA punições ao Brasil
fotos

Comitiva bolsonarista passa uma semana nos EUA e tenta convencer republicanos e lobistas de que Brasil viveria ditadura

Brasil não cumpre decisões da Corte Interamericana sobre polícia e Forças Armadas
fotos

Tribunal internacional condenou novamente o país por crimes cometidos por policiais militares

Denunciado por incitação, bolsonarista agora se diz apoiador de Boulos e do PT
fotos

“Segunda-feira eu tô lá em Brasília levando o capacete para o presidente [Lula]”, diz em um vídeo no Instagram um [...]

Compartilhar:

Deixe um comentário

error: Content is protected !!