Indígenas acusam a ministra Damares de rapto de criança

fotos

Sem Diploma

Damares Alves,  a pastora e agora nomeada ministra, já com a credibilidade abalada por ter mentido ao afirmar que era mestre em educação, direito constitucional e direito da família, agora está envolvida em mais um escândalo.

Na capa da revista

Vazou nas redes sociais na noite desta quarta-feira (30) a provável capa da revista Época, que deve ir às bancas neste fim de semana, com a acusação de uma indígena sobre um suposto sequestro de uma criança na aldeia pela ministra da Família, Mulher e Direitos Humanos, Damares Alves.

Na capa, aparece a foto de uma indígena com os seguintes dizeres entre aspas: “a branca levou a Lulu”. Logo abaixo a chamada: Como uma criança indígena levada de uma aldeia no Xingu foi parar na casa da Ministra Damares Alves. A reportagem seria assinada pelos jornalistas Natália Portinari e Vinicius Sassine.

Antes de ser confirmada na pasta, uma reportagem já havia mostrado que a Organização Não Governamental Atini, fundada por Damares Alves no Brasil, fora alvo de investigação da Polícia Federal por suposto tráfico de crianças indígenas.

As ações contra a ONG correm em segredo de Justiça e, uma delas que está na vara federal de Volta Redonda (RJ), tem como figura central uma adolescente indígena de 16 anos que, em 2010, foi levada grávida pelo tio materno para uma chácara da Atini e registrada como sua filha.

A ONG justifica que tirou a jovem de sua tribo porque ela sofria maus tratos. A criança ficou sob a tutela provisória do irmão de uma das donas da Atini e, agora, o Ministério Público Federal pede o retorno da criança para sua mãe, que já voltou para a tribo.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!