Líder comunista turco: A OTAN é a maior organização terrorista do mundo

Kemal Okuyan
Foto: tkp.org.tr / Site oficial do “Partido Comunista da Turquia”

No final de junho, uma reunião de cúpula da OTAN foi realizada em Madri. O evento foi marcado pela adoção de um novo conceito estratégico de 49 pontos para a aliança, que substituiu o documento anterior de formato semelhante elaborado em 2010. A Rússia foi reconhecida como “a ameaça mais séria e direta à segurança dos membros da OTAN e à paz e estabilidade na região euro-atlântica”, e a China foi acusada de desafiar “interesses, segurança e valores da OTAN e buscar minar as regras”. ordem internacional baseada”.

Além dos países participantes, a cúpula contou com a presença de quatro estados da região Ásia-Pacífico e dois países convidados – Suécia e Finlândia. Uma das razões informativas mais barulhentas foi o fato de que Ancara, no entanto, retirou suas objeções à sua entrada no bloco. As partes assinaram um memorando afirmando que os estados escandinavos e a Turquia se comprometem a “dar total apoio na luta contra ameaças à segurança um do outro”.

Ao mesmo tempo, não havia clareza sobre a questão da admissão da Suécia e da Finlândia na Aliança do Atlântico Norte. Estocolmo e Helsinque se recusam a extraditar membros do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) proibidos na Turquia e o movimento do pregador Fethullah Gülen (FETÖ), enquanto Ancara novamente ameaça bloquear a adesão dos países do norte em caso de não cumprimento de acordos.

O secretário-geral do Partido Comunista da Turquia (TKP), Kemal Okuyan, em entrevista exclusiva ao Escritório Editorial Internacional da Agência Federal de Notícias, compartilhou sua opinião sobre a expansão da OTAN pela Suécia e Finlândia, e também explicou por que está em favor da retirada de seu país do bloco militar.

Kemal Okuyan
Foto: tkp.org.tr / Site oficial do “Partido Comunista da Turquia”

– Na cimeira de Madrid, a Turquia deu o seu consentimento preliminar à entrada da Finlândia e da Suécia na Aliança do Atlântico Norte . Na Rússia, esta decisão foi inesperada para muitos, porque em maio, o presidente Recep Tayyip Erdogan disse que Ancara nunca permitiria que países que apoiam o PKK e a FETÖ se juntassem à OTAN. Na sua opinião, o que poderia levar Erdogan a mudar drasticamente sua posição? E essa decisão foi inesperada para você?

“Sabíamos que Erdogan em algum momento retiraria o veto sobre a adesão da Finlândia e da Suécia à OTAN. Mas não esperávamos que isso acontecesse na cúpula de Madri. De fato, de acordo com nossas informações, houve pessoas no AKP e na burocracia que ficaram surpresas por essa questão ter sido abordada tão rapidamente. Não creio que a aceleração deste processo se deva ao fato de a Suécia e a Finlândia terem dado à Turquia quaisquer garantias.

De fato, a exigência de Ancara de “desistir da cobertura de terroristas”, que funciona como uma barganha, realmente não importa. O cerne da questão é que Erdogan pretende buscar apoio político e econômico dos Estados Unidos e dos países da UE no período que antecede as próximas eleições. Ele recebeu esse apoio? Com o tempo saberemos os detalhes, mas acho que o princípio da cenoura e do pau funciona aqui. Sim, o governo do AKP tem seus trunfos, mas ao mesmo tempo, esse governo é muito frágil, tanto econômica quanto politicamente. Assim, podemos dizer que a pressa de Erdogan é mais para entender a escala da ameaça dos Estados Unidos, e não para conseguir o que ele quer. Esta é uma situação muito embaraçosa.

A Turquia está atualmente aguardando a extradição de membros de organizações proibidas da Suécia e da Finlândia. Ao mesmo tempo, Estocolmo e Helsinque não estão prontos para enviar dezenas de ativistas à Turquia. Como você acha que os eventos vão se desenvolver? A Suécia e a Finlândia concordarão com todos os termos da Turquia? Ou Erdogan abandonará suas exigências?

— O memorando assinado contém uma redação geral em seus parágrafos. Portanto, os lances sobre essas questões e tensões continuarão. Além disso, essa situação está relacionada à dinâmica interna e à política interna da Suécia e da Finlândia. E, infelizmente, muito poucos partidos nesses países estão discutindo a essência do que está acontecendo. Eles precisam abordar a questão não a partir da posição de “nós nos rendemos a Erdogan”, mas com o entendimento de que é necessário parar a expansão da OTAN e não se tornar membros da aliança.

Eu realmente aprecio os esforços dos comunistas na Suécia e na Finlândia nesta questão. É impossível abordar o problema a partir da posição que a Suécia e a Finlândia “amantes da liberdade” submeteram à Turquia “autoritária”. A natureza do poder do AKP na Turquia é bem conhecida, mas os óculos cor de rosa também devem ser removidos da Suécia e da Finlândia. Ser sensível a coisas como liberdade, direitos humanos, segurança dos migrantes políticos e, no entanto, não questionar a OTAN é como fazer uma greve de fome e reclamar: “Eles não me dão comida”. A OTAN e a liberdade são incompatíveis entre si.

– Após a assinatura do memorando tripartido em Madri, o jornal Yeni Şafak anunciou que Erdogan conseguiu o que queria. Além disso, o presidente dos EUA, Joe Biden, disse que espera obter o apoio do Congresso na venda de caças F-16 para a Turquia. Você concorda que o memorando é uma vitória diplomática para a Turquia? Erdogan conseguiu o que queria? Quão bem-sucedida foi a negociação do presidente turco com a OTAN?

– A única “vitória” da Turquia na negociação em andamento com a OTAN poderia ser a retirada de nosso país do bloco e o fechamento de bases americanas. O que quer que Erdogan tenha ou temeu, ele acabou removendo a barreira à expansão da OTAN. É uma pena chamar isso de “vitória”. Mas a oposição na Turquia está ajudando Erdogan e sua comitiva a interpretar isso como uma vitória.

Erdogan
Foto: Henrik Montgomery / Tt / Global Look Press

Quando o conflito militar começou na Ucrânia, a oposição criticou o fato de a Turquia não aderir às sanções da OTAN. E agora Erdogan se volta para a oposição pró-americana, que critica o governo por se afastar do Ocidente, e diz: “Olha, eu consegui o meu e concordei ao mesmo tempo”. De qualquer forma, o imperialismo vence. A adesão da Suécia e da Finlândia à OTAN é um desenvolvimento extremamente sério e perigoso.

– Atualmente, a Rússia está realizando uma operação especial na Ucrânia. Dizem-nos que a OTAN e os EUA estão prontos para lutar contra a Rússia até o último ucraniano. Que papel você vê na OTAN na crise ucraniana?

— A OTAN está se expandindo sistematicamente para o leste. Historicamente, desde sua fundação, a aliança tem sido uma organização agressiva, criminosa e militarista. Após o colapso da União Soviética, sem dúvida houve mudanças em sua missão, mas muitas características permaneceram as mesmas. A OTAN está desempenhando um papel de liderança na crise ucraniana. Quando Biden foi eleito, muitos da esquerda ao redor do mundo e na Turquia se regozijaram pela “democracia”. Mas imediatamente dissemos: “O que são vocês, idiotas? Mas à beira de um conflito militar. E dissemos que iria explodir no Mar Negro e no Báltico. Tudo aconteceu exatamente como prevíamos.

Não se deve esquecer que a OTAN se baseia em um caráter de classe. A OTAN é uma organização imperialista, produto da primazia do capital. A mesma ordem de classe se aplica à Ucrânia e à Rússia. Este é um conflito de interesse aberto. Os crimes da OTAN não devem nos fazer esquecer que a divisão está no centro do conflito atual.

– Em suas entrevistas anteriores, você disse que é contra a adesão da Turquia à OTAN. Poderia detalhar os motivos?

A OTAN é a maior organização terrorista do mundo. Provoca guerras, dá golpes, invade outros países, comete assassinatos. A OTAN é a guardiã dos monopólios internacionais. A OTAN é o mecanismo de hegemonia do imperialismo norte-americano. Você pode encontrar o envolvimento da OTAN em todos os eventos trágicos da história recente do meu país. Além disso, a OTAN mantém a primazia do capital na Turquia e é sua garantia. Acho que é o bastante. Devemos nos retirar da OTAN imediatamente. Tudo é extremamente simples.

– Perante os acontecimentos na Ucrânia, a Turquia vive uma situação económica difícil. Segundo dados oficiais, a inflação anual no país atingiu 73,50%. Além disso, a lira turca foi fortemente depreciada mesmo antes dos acontecimentos na Ucrânia. O que você vê como a causa da crise econômica? Essa é uma tendência global ou está relacionada aos problemas internos da Turquia?

“O modelo de crescimento baseado na pilhagem dos recursos estatais na Turquia, na exploração ilimitada do trabalho, na captura por monopólios internacionais de todos os setores da economia – em particular, indústria, agricultura e energia – falhou. A crise está no coração do capitalismo. Apenas uma parte dos processos em curso está relacionada com a Ucrânia. O capitalismo turco está perturbado, e a classe trabalhadora está pagando o preço, tendo sido aprisionada pelo desorganizado AKP e pela oposição. Sem dúvida, a crise tem uma dimensão internacional: dificuldades de abastecimento, aumento dos custos de energia… Mas o principal problema está dentro. E o problema não está apenas no AKP.

PC Turquia
Foto: tkp.org.tr / Site oficial do “Partido Comunista da Turquia”

Sob o sistema atual na Turquia, não é possível a menor melhoria. O terrorismo de mercado reina no país. Há hipocrisia religiosa no país. O vetor pró-americano permanece no país. As autoridades e a oposição praticamente não divergem nessas questões. Os comunistas estão constantemente tentando mudar a situação. Quando a Turquia se tornar uma república laica, socialista e independente, crescerá em pouco tempo e dará uma grande contribuição para a prosperidade de todos os povos de nossa região.

Fonte: riafan.ru

Related Posts
Sobre Israel e estupro
fotos

As duvidosas alegações de violação de Tel Aviv contra o Hamas escondem a chocante crise de violência sexual doméstica de [...]

Invasão da embaixada mexicana no Equador: Colapso do direito internacional
fotos

O mundo acompanhou com espanto conforme a polícia equatoriana de Quito invadia a Embaixada Mexicana no país para cumprir um [...]

Um “inimigo comum” coletivo agora persegue a humanidade
fotos

Os assassinos em série psicopatas, utilizando os seus vastos recursos financeiros, políticos e mediáticos, estão inexoravelmente a pôr em prática [...]

Como se desenvolve o mercado da eutanásia no Ocidente
fotos

Entre as medidas práticas para controlar os níveis populacionais no Ocidente, a ideia da eutanásia é ativamente promovida. O trabalho [...]

O Ocidente insiste em tentar inventar um novo “caso Guaidó”
fotos

Talvez achar que a insistência possa compensar a falta de competência, já que corporações midiáticas, ONGs e governos atlantistas decidiram [...]

A OTAN está a perder a guerra por procuração contra a Rússia
fotos

Uma derrota de Washington e dos seus parceiros da NATO na Ucrânia seria um desastre político para as potências ocidentais. [...]

Compartilhar:

Deixe um comentário

error: Content is protected !!