Ministérios das Relações Exteriores e da Saúde do Brasil defendem maior diálogo sobre a aprovação do Sputnik V

As agências brasileiras estão “prontas para um maior diálogo, no que diz respeito à independência e autonomia da Anvisa, para que o Sputnik V possa, uma vez aprovado no Brasil, reforçar o programa nacional de imunização COVID-19”
anvisa

Os ministérios da Saúde e das Relações Exteriores do Brasil apoiam a iniciativa da Anvisa – agência de vigilância sanitária do Brasil – de dar continuidade ao diálogo sobre o registro da vacina russa contra o coronavírus Sputnik V, informou o Itamaraty segunda-feira.

“Observando as ótimas relações entre a Rússia e o Brasil, inclusive no que diz respeito ao combate ao COVID-19, o Itamaraty e o Ministério da Saúde saúdam a disponibilidade da Anvisa, do Fundo Russo de Investimento Direto e do Instituto de Pesquisas Gamaleia para esclarecer as demais dúvidas sobre Vacina Sputnik V, incluindo o fornecimento de documentos adicionais “, diz o comunicado.

As agências brasileiras estão “prontas para um maior diálogo, no que diz respeito à independência e autonomia da Anvisa, para que o Sputnik V possa, uma vez aprovado no Brasil, reforçar o programa nacional de imunização COVID-19”.

Em 26 de abril, o órgão regulador brasileiro não aprovou a importação e utilização do Sputnik V. O Fundo de Investimento Direto afirmou que o comentário técnico, fornecido pela Anvisa, é falso.

Posteriormente, o regulador reconheceu que não conduziu pesquisas domésticas e forneceu sua decisão com base em documentos recebidos da Rússia. O chefe da agência, Antônio Barra Torre, afirmou que a agência poderá rever sua decisão caso informações adicionais sejam fornecidas.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!