Nenhuma complicação séria detectada durante os testes do Sputnik V na Venezuela

A primeira dose foi recebida por mais de 200 voluntários, ambos os componentes – por 40

Venezuela
© Kirill Kuhmar / TASS

Médicos venezuelanos não registraram complicações graves em voluntários que participaram de ensaios clínicos da vacina russa Sputnik V contra o coronavírus, informou neste domingo o médico venezuelano Alexis Garcia Pinera que dirige as pesquisas da vacina na república latino-americana.

“A primeira dose foi recebida por mais de 200 voluntários, ambos os componentes – por volta dos 40. Quanto às complicações, que é a coisa mais importante durante os testes, apenas efeitos colaterais leves foram detectados: dor de cabeça, gripe ou dor no local da injeção “, disse ele durante um discurso transmitido no Twitter do presidente venezuelano Nicolas Maduro.

O médico também observou que na Venezuela “não foi registrado nenhum caso de complicações graves ou de morte de um voluntário”. “Nossos resultados coincidem com o que se encontra em publicações de pesquisas e com os resultados da vacinação na Rússia e na Argentina”, acrescentou.

Em dezembro, o vice-presidente venezuelano Delcy Rodriguez informou sobre a assinatura de um acordo com o lado russo para entregar 10 milhões de doses da vacina Sputnik V contra o coronavírus. Anteriormente, foi relatado que a Venezuela recebeu 2.000 doses da vacina russa para participar da Fase Três dos ensaios clínicos.

Fonte: Agência TASS

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!