O golpe fracassado na Rússia: causas e consequências

prigozhin
Yevgeny Prigozhin, proprietário da empresa militar Wagner Group [AP Photo]

Uma tentativa de golpe liderada por Evgeny Prigozhin, chefe da força mercenária russa Wagner, fracassou na noite de sábado, horário local. Em um acordo negociado pelo presidente da Bielo-Rússia, Alexander Lukashenko, Prigozhin deixou a Rússia, e o Serviço Secreto Russo (FSB) desistiu da investigação do motim iniciada no início do dia contra o líder Wagner. Há relatos não confirmados de que o acordo inclui a remoção do ministro da Defesa Shoigu e do chefe do gabinete, Valery Gerasimov, e a mudança de Wagner para a África.

Prigozhin iniciou seu golpe na noite de sexta-feira, horário local, com um vídeo de 30 minutos no qual ele vociferava contra a liderança militar da Rússia e fazia um apelo direto à facção pró-OTAN dentro da classe dominante russa. Prigozhin, que há apenas algumas semanas pediu uma mobilização em massa e uma virada total para uma economia de guerra para combater a ameaça da OTAN, agora afirmava: “As Forças Armadas da Ucrânia não iriam atacar a Rússia com a OTAN”.

Na manhã de sábado, o presidente russo, Vladimir Putin, apareceu na televisão e acusou Prigozhin, mas sem mencioná-lo pelo nome, de agir em nome da OTAN. Putin declarou: “Hoje, a Rússia está travando uma dura luta por seu futuro, repelindo a agressão de neonazistas e seus patronos. Toda a máquina militar, econômica e informacional do Ocidente está voltada contra nós”.

No final da noite de sábado, com as tropas de Wagner assumindo Rostov-on-Don e nos arredores de Moscou, Prigozhin anunciou que eles recuariam. Seu súbito recuo indica claramente que o nível de apoio com o qual ele contava para um golpe bem-sucedido não se concretizou.

O que levou Prigozhin a lançar seu golpe? Primeiro, é evidente que seus conflitos crescentes com o estado russo e o aparato militar chegaram ao auge. A tentativa de golpe foi precedida pelas denúncias mordazes de Prigozhin ao ministro da Defesa, Shoigu, a quem ele acusou de não travar a guerra com agressividade suficiente. Foi relatado que o financiamento para Wagner seria substancialmente cortado. No início deste mês, Prigozhin se recusou a aceitar a exigência de Putin de que Wagner fosse colocado sob o controle da liderança do exército.

Há evidências de que os militares estavam fartos do patrocínio de longa data de Putin a esse bandido desbocado e desrespeitoso (com os militares). Suas operações na Ucrânia, embora úteis até certo ponto, também interferiram na condução profissional da guerra por oficiais treinados. Prigozhin, pode-se supor com segurança, tentou o golpe a fim de antecipar ações contra ele.

Em segundo lugar, seria o cúmulo da falta de noção política acreditar que a OTAN foi uma espectadora passiva dos eventos das últimas 24 a 36 horas. Certamente tem acompanhado a escalada da guerra de palavras entre Prigozhin e os militares russos com extremo cuidado, e pode-se presumir que fez contato com ele. Não há outra explicação crível para a justificativa pró-OTAN feita por Prigozhin ao lançar o golpe.

Os contatos de Prigozhin na OTAN teriam um bom motivo para exigir que ele agisse agora. O golpe foi lançado menos de três semanas após a contraofensiva apoiada pela OTAN pela Ucrânia. Tendo custado dezenas de bilhões de dólares para se preparar, até agora provou ser um desastre, com milhares de soldados ucranianos morrendo todos os dias e apenas algumas aldeias tomadas. Em pouco mais de duas semanas, a OTAN realizará uma grande cúpula em Vilnius que, até a tentativa de golpe, ameaçava ser dominada pelo desastre militar da Ucrânia.

A administração Biden e seus aliados da OTAN calcularam que uma tentativa de golpe, mesmo que não fosse bem-sucedida, desestabilizaria o regime e prejudicaria suas operações militares. De qualquer forma, a tentativa de golpe mudou a narrativa da mídia da fracassada contraofensiva ucraniana para o fracassado regime de Putin.

Fonte: wsws.org

Related Posts
Uma nova (e mais justa) Nuremberg
fotos

A Federação Russa continua a desempenhar o seu papel civilizador na Ucrânia, capturando, julgando e punindo os nazis que participaram [...]

Impossibilitada de escalar militarmente, OTAN aposta na retórica
fotos

Continuando sua incessante onda de escaladas na guerra contra a Federação Russa, os países da OTAN decidiram deliberar sobre “autorizar” [...]

O Ocidente já está em guerra com a Rússia, mas os seus líderes não conseguem acordar de um sonho
fotos

A OTAN está a planejar algo grande na Ucrânia? Estaremos agora à beira do início da Terceira Guerra Mundial, já [...]

Iêmen contra-ataca, visando o USS Eisenhower
fotos

As Forças Armadas do Iémen, alinhadas com Ansarallah, aumentaram as apostas no Mar Vermelho ao atacarem o porta-aviões norte-americano Eisenhower [...]

‘Líder do mundo livre’ permite genocídio e aniquilação global
fotos

Se houver alguma esperança, pode ser que a abominável realidade estimule o mundo a revoltar-se contra este sistema criminoso e [...]

Pogroms, censura, manipulação midiática: o que o Ocidente esconde sobre o genocídio palestino
fotos

Israel rompe todos os limites de ultraje, humilhação e desprezo pela dignidade humana, cuja vítima há 75 anos é o [...]

Compartilhar:

Deixe um comentário

error: Content is protected !!