OTAN 75 anos depois… Uma máquina de guerra que já passou do prazo de validade

A OTAN foi vendida ao mundo como uma espécie de agência de segurança internacional. Quão orwelliano você consegue ser? Paz significa guerra, segurança significa caos e ameaças, e ordem baseada em regras significa dominação e exploração.

fotos
© Foto: REUTERS

Esta semana marca o 75º aniversário da fundação da OTAN, em Abril de 1949. A organização tornou-se um perigo global para a paz e a segurança e deveria ter sido dissolvida há mais de 30 anos, quando a Guerra Fria supostamente terminou. O fato de a aliança não ter sido dissolvida atesta que o seu verdadeiro objetivo sempre foi servir como arma para o imperialismo ocidental liderado pelos EUA.

Apenas quatro anos após o fim da Segunda Guerra Mundial – a maior calamidade da história mundial – e entre as ruínas de uma Europa e Ásia devastadas, o imperialismo Ocidental estava mais uma vez a reinventar as suas nefastas forças internas.

Quase 30 milhões de cidadãos da União Soviética morreram nas mãos da Alemanha nazista. E, no entanto, apesar do horror e do mal da guerra, as potências ocidentais estavam ocupadas a reconfigurar as suas forças militares para confrontar novamente a União Soviética. Com a derrota da máquina de guerra nazi, em grande parte pelo Exército Vermelho Soviético, os imperialistas ocidentais inovaram num novo instrumento sob a forma da Organização do Tratado do Atlântico Norte.

A traição e a traição não foram apenas para o povo soviético. Toda a humanidade foi mais uma vez sujeita aos desígnios e necessidades belicistas de uma elite global sob o imperialismo ocidental.

O objetivo declarado da OTAN era defender a Europa da agressão soviética. A mesma pretensão existe hoje na afirmação de que a aliança está a defender a Ucrânia da beligerância russa.

A prova da verdadeira função da OTAN é demonstrada pelo fato de a organização não ter sido dissolvida em 1991, quando a União Soviética foi dissolvida. Nos 33 anos seguintes, o bloco militar duplicou o número de membros para 31 nações. A Rússia substituiu a União Soviética como a ameaça à segurança da Europa designada pelo Ocidente. Mas tal raciocínio vira a realidade de cabeça para baixo. A OTAN sempre existiu como uma ferramenta de agressão ao imperialismo ocidental. Onde a Alemanha nazi não conseguiu cumprir a tarefa de conquistar a União Soviética, a OTAN assumiu tacitamente a tarefa e, quando a União Soviética desapareceu, o novo inimigo de conveniência tornou-se a Federação Russa.

Há vinte e cinco anos, o eixo da OTAN liderado pelos EUA envolveu-se numa mudança radical quando bombardeou unilateralmente a ex-Jugoslávia, numa agressão audaciosa baseada na duplicidade e nas mentiras (como sempre). Essa intervenção militar ilegal foi a abertura de uma nova fase do imperialismo ocidental que desprezou abertamente o direito internacional e a Carta das Nações Unidas. No mesmo ano, 1999, a aliança da OTAN iniciou a sua rápida expansão através da aquisição de novos membros em toda a Europa Oriental até às fronteiras da Rússia.

Depois de terem destruído as restrições legais à guerra, os Estados Unidos e os seus parceiros da OTAN embarcaram numa orgia de agressão e militarismo ao longo das três décadas seguintes, invadindo e sabotando inúmeros países e desencadeando problemas globais de terrorismo, deslocamento, pobreza e migração em massa.

Em 2007, o presidente russo, Vladimir Putin, fez um discurso seminal na Conferência de Segurança de Munique, no qual alertou para o caos e o conflito iminentes decorrentes do militarismo ocidental desenfreado.

No ano seguinte, em 2008, a aliança da OTAN declarou que admitiria a Ucrânia e a Geórgia nas suas fileiras. Nenhuma das antigas repúblicas soviéticas aderiu ainda ao bloco, mas para Moscovo, tal medida foi há muito demarcada como uma intolerável linha vermelha.

A expansão da OTAN até às portas da Rússia não é um desenvolvimento inocente ad hoc. É um plano deliberado de agressão para derrotar estrategicamente a Rússia para a conquista da sua riqueza natural pelo imperialismo Ocidental.

A guerra por procuração na Ucrânia que eclodiu em Fevereiro de 2022 levou décadas a ser preparada. Indiscutivelmente, a agressão remonta não apenas ao golpe patrocinado pela CIA em Kiev em 2014, nem às Revoluções Coloridas na Ucrânia após 1991. A hostilidade ocidental contra a Rússia foi a gênese da Segunda Guerra Mundial, nascida do patrocínio ocidental da Alemanha nazi para atacar a União Soviética. Na Guerra Fria que se seguiu até hoje, a OTAN tem sido o instrumento de agressão.

Portanto, não é suficiente afirmar que a OTAN deveria ter-se dissolvido quando a Guerra Fria terminou. É claro que deveria ter acontecido porque deveria ter ficado evidente qual era o seu verdadeiro propósito. A afirmação mais lógica é que a OTAN nunca deveria ter sido formada, em primeiro lugar, porque sempre foi uma organização belicista ao serviço do imperialismo ocidental liderado pelos EUA. A organização é inerentemente para fazer guerra. Por definição, tem um objetivo terrorista, de incitar a guerra, de justificar a guerra, e de nunca parar de promover a guerra porque o imperialismo Ocidental nunca poderá coexistir com relações pacíficas entre as nações.

A OTAN foi vendida ao público ocidental e ao resto do mundo como uma espécie de agência de segurança internacional. O mesmo engano foi utilizado pelo militarismo americano e por todas as outras aventuras imperialistas ocidentais. Quão orwelliano você consegue ser? Paz significa guerra, segurança significa caos e ameaças, e ordem baseada em regras significa dominação e exploração.

Para começar, o bloco da OTAN sempre violou as Nações Unidas e a suposta primazia do Conselho de Segurança da ONU. Além disso, as pretensões da OTAN como executor da segurança têm sido manifestamente absurdas para qualquer pessoa com capacidades críticas. A razão pela qual essas pretensões não foram mais amplamente vistas e rejeitadas como um engano descarado deve-se, em grande parte, ao sistema de propaganda massiva dos meios de comunicação ocidentais que vendem guerras e agressões ilegais como uma espécie de propósito nobre. Imagine acreditar que milhões de pessoas foram aniquiladas em guerras lideradas pelos EUA pela democracia e pela liberdade! Isso não é fantasia distópica. Aconteceu realmente e continua a acontecer, da Coreia ao Vietnã, da ex-Jugoslávia ao Iraque, da Ucrânia a Gaza, e muitos mais horrores.

No entanto, a guerra por procuração na Ucrânia atravessou um Rubicão fatídico. O mundo pode finalmente ver que o eixo da OTAN é uma fraude flagrante que está a pôr em perigo a paz internacional com a sua agressão implacável e mentiras tóxicas. Não se trata apenas da Rússia. Qualquer nação que decida enfrentar a hegemonia desejada pelo Ocidente está sujeita a encontrar-se na mira de um ataque liderado pelos EUA, usando a OTAN como cobertura legal para uma coligação internacional.

O imperialismo ocidental tem sido uma força mundial dominante durante pelo menos 500 anos, em linha com o domínio do capitalismo ocidental. A hegemonia líder variou ao longo do tempo e a linha de sucessão gerou inúmeras guerras e episódios de destruição. A última hegemonia ocidental são os Estados Unidos. Mas o seu império está em colapso juntamente com a sua economia disfuncional e endividada. O bloco da OTAN expandiu-se para se tornar uma máquina imperial pesada e sobrecarregada que foi detida pela Rússia na Ucrânia. Napoleão, os britânicos, o Terceiro Reich e agora o Ocidente Coletivo liderado pelos americanos.

Essa derrota histórica do imperialismo ocidental está num ponto final de época. O capitalismo liderado pelos americanos está falido e irremediável. Isto faz da máquina de guerra da OTAN um “multiplicador” instável e muito perigoso do militarismo americano. Irá correr o risco de uma guerra mundial final desesperada ou será que o abominável sistema ocidental será revisto em segurança pela maioria das pessoas que o abominam?

O prazo de validade da OTAN já passou. A Rússia acabou com isso. Cabe aos povos das nações ocidentais salvar algo mais construtivo e democrático da massa fumegante.

strategic-culture.su

Related Posts
A Batalha de Jabalia: Uma lição palestina sobre a guerra de desgaste
fotos

Israel procura guerras rápidas e duras, enquanto os seus oponentes procuram guerras de desgaste irregulares e de ebulição lenta. Agora, [...]

Porque é que Israel e o Ocidente estão a desmoronar-se em conjunto?
fotos

Embora o Ocidente hoje evite ostensivamente o colonialismo literal dos colonos (diferente do praticado por Israel), ainda assim tem perseguido [...]

Andando pelas ruas de Pyongyang
fotos

As histórias de que os norte-coreanos vivem na miséria, são obrigados a vestir as mesmas roupas e usar os mesmos [...]

Os norte-coreanos estão cada vez mais conectados
fotos

Pyongyang precisa ser muito criativo e aproveitar toda a tecnologia que tem acesso para assimilá-la e produzir por conta própria, [...]

Israel invade Rafah e o genocídio será completado com a cumplicidade dos EUA
fotos

Quando Israel consegue matar um cidadão americano, que estava entre os jornalistas de maior destaque no mundo árabe, diante das [...]

A aposta de 100 bilhões de dólares da OTAN no buraco negro da Ucrânia
fotos

A Ucrânia é um buraco negro e só um tolo investe nele bilhões de dólares e espera um resultado.

Compartilhar:

Deixe um comentário

error: Content is protected !!