OTAN envia forças adicionais na Europa Oriental por causa da situação em torno da Ucrânia

A organização continuará a tomar todas as medidas necessárias para proteger e defender todos os Aliados, sublinhou o secretário-geral Jens Stoltenberg

Otan
© EPA-EFE / TOMS KALNINS

A Otan está enviando forças adicionais na Europa Oriental devido à situação em torno da Ucrânia, disse a aliança em um comunicado, publicado na segunda-feira.

“Os aliados da OTAN estão colocando forças de prontidão e enviando navios e caças adicionais para implantações da Otan na Europa Oriental, reforçando a dissuasão e defesa aliadas enquanto a Rússia continua seu reforço militar na Ucrânia e ao redor”, diz o comunicado.

A declaração ressalta que “nos últimos dias, vários Aliados fizeram anúncios sobre implantações atuais ou futuras”.

“A Dinamarca está enviando uma fragata para o Mar Báltico e deve enviar quatro caças F-16 para a Lituânia em apoio à longa missão de policiamento aéreo da OTAN na região. A Espanha está enviando navios para se juntar às forças navais da OTAN e está considerando enviar caças para a Bulgária”, diz a aliança. “A França expressou sua disposição de enviar tropas para a Romênia sob o comando da OTAN. A Holanda está enviando dois caças F-35 para a Bulgária a partir de abril para apoiar as atividades de policiamento aéreo da OTAN na região e está colocando um navio e unidades terrestres de prontidão para a Força de Resposta da OTAN. Os Estados Unidos também deixaram claro que estão considerando aumentar sua presença militar na parte oriental da Aliança.”

O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, saudou a contribuição de forças adicionais dos aliados. “A OTAN continuará a tomar todas as medidas necessárias para proteger e defender todos os Aliados, inclusive reforçando a parte oriental da Aliança. Sempre responderemos a qualquer deterioração de nosso ambiente de segurança, inclusive fortalecendo nossa defesa coletiva”, disse ele.

Recentemente, alegações de possível invasão da Rússia na Ucrânia tornaram-se frequentes na Ucrânia e nos estados ocidentais. O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, chamou esses relatórios de escalada vazia e infundada de tensões, ressaltando que a Rússia não representa nenhuma ameaça a ninguém. Peskov observou que podem ocorrer provocações para justificar tais alegações e alertou que tais tentativas terão as consequências mais graves.

Fonte: TASS

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!