Preso por morte de Marielle já foi homenageado na Alerj

Ronnie Lessa recebeu uma moção de congratulações, aplausos e de louvor em 1998. Ele perdeu a perna em um atentado a bomba há 10 anos, cujo autor é o mesmo envolvido no atentado ao contraventor Rogério de Andrade.

Ronnie Lessa, apontado como autor dos disparos contra Marielle, e Élcio Queiroz, suspeito de dirigir o carro. Foto: Reprodução

O policial militar reformado Ronnie Lessa, apontado como o autor dos 13 tiros que mataram a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes, já foi homenageado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) há mais de 20 anos.

Lessa, então terceiro-sargento da PM, recebeu uma moção de congratulações, aplausos e de louvor no final do ano de 1998.

O autor da condecoração é o deputado Pedro Fernandes Filho, já falecido, que era avô de Pedro Fernandes Neto (PDT), outro ex-parlamentar estadual que atualmente é secretário de educação do governador Wilson Witzel (PSC).

No texto, protocolado em 23 de novembro daquele ano, Fernandes justifica o prêmio pela maneira como Lessa “vem pautando sua vida profissional como policial militar do 9 Batalhão de Polícia Militar (BPM)”.

“Sem nenhum constrangimento posso afirmar que o referido militar é digno desta homenagem por honrar, permanentemente, com suas posturas, atitudes e desempenho profissional, a sua condição humana e de militar discreto mas eficaz. Constituindo-se, deste modo, em brilhante exemplo àqueles com quem convive e com àqueles que passam a conhecê-lo”.

Pedro Fernandes Filho foi decano da Alerj, chegando a marca de 10 legislaturas. Na última eleição, no final da década de 2000 o ex-marinheiro e combatente da Segunda Guerra Mundial se elegeu pelo PFL com cerca de 47 mil votos.

Pedro Fernandes Filho é também pai de Rosa Fernandes, que está em seu sétimo mandato consecutivo como vereadora. (…)

Do G1

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − dezessete =