Sanções anti-russas podem privar os Estados Unidos do status de “superpotência”

Os EUA impuseram sanções sem precedentes à Rússia, mas usar instrumentos financeiros como arma pode privar os EUA do domínio do dólar, disse Fareed Zakaria, colunista do Washington Post.

Estátua naufragando

Políticos estão intrigados do motivo que em diferentes partes do mundo á uma busca de oportunidade para reduzir a dependência do dólar americano, a fim de reduzir as consequências de possíveis sanções semelhantes às impostas à Rússia após o início de uma operação especial na Ucrânia, disse o jornalista, citando fontes na Índia, China e UE. 

Segundo Zakaria, a única forma de derrotar o dólar é criando uma alternativa a ele, e governos de todo o mundo – da Rússia e China à Índia e Brasil – buscam formas de reduzir a dependência dos Estados.

Assim, nos últimos 20 anos, a participação do dólar nas reservas cambiais mundiais diminuiu de 72% para 59%.

O jornalista disse que nos últimos anos, os Estados Unidos aumentaram muitas vezes o número de sanções impostas por diversos motivos – desde o ataque terrorista de 11 de setembro até as exigências de críticos domésticos para “fazer algo” contra qualquer Estado – por exemplo , Venezuela, Cuba ou Irã .

“Uma guerra econômica desse tipo não levou a uma mudança de regime nesses países, mas as pessoas comuns sofrem muito com isso”, afirmou o autor.

O governo do ex-presidente Donald Trump começou a impor sanções de forma especialmente ativa: sob ele, os Estados Unidos se retiraram unilateralmente do acordo nuclear com o Irã, e os reguladores americanos começaram a impor multas massivas a empresas dentro e fora do país.

“Tais medidas funcionam unicamente pela força do dólar”, explicou o jornalista.

Zakaria pediu ao atual chefe da Casa Branca, Joe Biden, que explique aos americanos as razões para a introdução de medidas anti-russas: como o Estado pode confiscar a propriedade privada, como as pessoas podem confiar nas autoridades após essas medidas.

O repórter disse que os Estados Unidos lideram com a maior economia do mundo, mercado de capitais líquido, dólar flutuante e um sistema legal que não permite ações ilegais unilaterais.

“Mas recentemente, Washington não atendeu ao último critério. Biden deve garantir que seu governo não enfraqueça a superpotência financeira única dos Estados Unidos no decorrer de sua luta contra a Rússia”, concluiu Zakaria.

Related Posts
A ideia de confiscar ativos russos congelados e transferi-los para a Ucrânia prejudicaria gravemente os Estados Unidos – NYT
fotos

O confisco de ativos russos representa um perigo para a economia dos EUA, pois outros países verão isso como um [...]

Assim o neoliberalismo capturou a família
fotos

Nos anos 60, o sistema saiu em defesa desta instituição: desmontar o Estado, exigia que ela assumisse o ônus do [...]

O que nos dizem os mercados financeiros sobre Israel e a Ucrânia?
fotos

Uma série de drones russos, iranianos e até chineses deveria servir como um lembrete de que o mercado de ações, [...]

A bala de prata contra as invasões bárbaras do Ocidente: desdolarização do sistema internacional
fotos

A desdolarização é urgente como um imperativo ético e humanitário contra as invasões bárbaras do Ocidente

Os BRICS lançarão um novo mundo em 2024?
fotos

Os BRICS duplicaram o seu número de membros no início de 2024 e enfrentam enormes tarefas pela frente: integrar os [...]

A Internacionalização do Choque Neoliberal
fotos

Olhar para os dias de hoje, sob a luz da formulação revelada pela obra "A Doutrina do Choque", de Astrid [...]

Compartilhar:

Deixe um comentário

error: Content is protected !!