Sobre o XXII Encontro Internacional dos Partidos Comunistas e Operários

internacional comunista

Após um hiato de três anos causado pela pandemia, foi realizada a XXII Reunião Internacional dos Partidos Comunistas e Operários na Ilha da Liberdade, Havana, de 28 a 29 de outubro de 2022, presencialmente. A reunião foi precedida por um Grupo de Trabalho que se reuniu no dia anterior, em 27 de outubro de 2022, para tratar de assuntos organizacionais e técnicos relacionados com o evento. O Grupo de Trabalho discutiu as minutas da declaração final, o plano de trabalho para o próximo período, as propostas recebidas para integrar a Solidnet e o próprio Grupo de Trabalho. Estas não são questões fáceis, pois existe uma ampla gama de opiniões entre os participantes. Daí os longos prazos para o processamento dos pedidos apresentados pelas partes para aderir à “Solidnet” (desde 2010), e bastante vagos (sem avaliações concretas e claras dos eventos mais importantes, pois são eles que causam disputas) declaração final, etc. Portanto, os organizadores da reunião, o Partido Comunista de Cuba, tiveram a difícil tarefa de coletar todas as opiniões e escolher entre elas o que convinha a todos os participantes da reunião, eliminando as disposições controversas.

No final da reunião do Grupo de Trabalho, foi realizada uma recepção no palácio presidencial. Representantes dos partidos que participaram pessoalmente da Reunião Internacional foram convidados a se familiarizar e se comunicar informalmente com o Primeiro Secretário do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba, Presidente da República de Cuba, Camarada Miguel Díaz-Canel Bermúdos. A recepção durou cerca de 2 horas e terminou com um jantar amigável.

A manhã de 28 de outubro começou com uma solene manifestação em memória do Comandante Camilo Cienfuegos, que morreu tragicamente em um acidente aéreo em águas cubanas em 1959. Ele foi um dos que participaram da embarcação de desembarque Granma, associado de Fidel, Raúl Castro e Che Guevara. Após a revolução ele se tornou chefe de pessoal do exército cubano. Depois de viver apenas 27 anos, ele tinha conseguido fazer muito na construção da nova e revolucionária Cuba. Como é tradição em Cuba, após um breve comício, os participantes do Encontro Internacional e os representantes de organizações públicas cubanas jogaram flores no oceano que foi o último lugar de descanso do Comandante-em-Chefe.

A Vigésima Segunda Reunião Internacional contou com a presença de representantes de 77 partidos de 60 países de todos os continentes. O programa da reunião foi tão intenso que os delegados trabalharam por mais de 14 horas no primeiro dia e terminaram por volta da meia-noite. Solidariedade com o povo de Cuba, condenação do embargo – estes foram aprovados em todos os discursos dos delegados e uniram a sala. Houve, entretanto, uma grande divergência de opinião entre os participantes na avaliação dos eventos na Ucrânia. Havia duas linhas claras que convergiram em alguns aspectos, mas que se opunham em vários aspectos.

A posição que a PCTR reconheceu como uma forma de oportunismo moderno defendida por representantes do Partido Comunista Grego. A outra posição foi tomada por delegados da PCTR (Partido Comunistas dos Trabalhadores Russos), da PCFR e da KPU (Partido Comunista da Ucrânia). Em particular, Stepan Malentsov, Primeiro Secretário do Comitê Central do Partido Comunista Russo (PCFR), em seu discurso pediu uma distinção dialética entre os interesses do grande capital e os interesses dos estratos proletários na luta contínua das classes, nações e estados na Ucrânia. Não misturar tudo em um só vaso, como fazem os defensores dos pontos de vista do PCC. O representante da RPRK convidou então os participantes da reunião a apoiar com suas assinaturas a Declaração sobre a Ucrânia, que havia sido preparada por iniciativa da RPRK, da CPRF, apoiada pela KPU e outras organizações comunistas e de trabalhadores na Ucrânia e Donbass. O orador concluiu com uma saudação ao Encontro Internacional da Organização Comunista dos Trabalhadores da LPR, da Frente dos Trabalhadores de Donbass e da Frente dos Trabalhadores da Ucrânia. Neste discurso, os camaradas apontaram a natureza antifascista e justa da luta armada na Ucrânia pelas forças aliadas e asseguraram que não abandonariam sua seção da frente de classe!

A maioria dos apoiadores da linha PCTR até agora vêm de países que as autoridades russas agora classificam como “amigáveis”. A exceção óbvia a esta lista foi a representante do Partido Comunista Alemão, que declarou em seu discurso que “a guerra está sendo travada militar e economicamente a fim de arruinar a Rússia”. O camarada lembrou que a guerra na Ucrânia não começou em 24.02.2022, mas já em 2014. O alvo da OTAN continua sendo a Ucrânia como uma cabeça-de-ponte contra a Rússia. No contexto dos altos custos emergentes da energia, os camaradas apoiam o movimento emergente na Europa contra o empobrecimento dos trabalhadores, a fim de combater a transferência da crise para os ombros do povo do trabalho, contra a OTAN. Eles planejam realizar este trabalho em conjunto com uma organização de jovens.

Dos palestrantes, um camarada do Partido Comunista do Brasil mostrou um profundo entendimento da situação em torno de Donbass ao apoiar a declaração da PCTR-KPU “O imperialismo é a causa da tragédia atual na Ucrânia, onde um regime fascista está agora estabelecido, o que é um perigo para todos. As ações da Federação Russa para reprimir o fascismo devem ser apoiadas”. Os camaradas também informaram sobre sua participação na campanha para as eleições presidenciais brasileiras e seu apoio ao candidato de esquerda Lula.

O discurso do representante do Partido Comunista Sírio (unido), que de fato abriu a discussão sobre a Ucrânia na reunião do grupo de trabalho, também deve ser notado. Ele apontou corretamente a ameaça do afundamento do mundo na escuridão, caso a Rússia burguesa fosse derrotada. O delegado comunista catalão indicou que a OTAN estava travando uma guerra em nome da Ucrânia. Embora existam ambições do nacionalismo russo de se tornar uma superpotência, o exemplo de Donbass mostra a hipocrisia dos valores europeus no mais alto grau e a OTAN é o principal inimigo na situação atual.

Pensamentos em apoio à ação russa na Ucrânia e contra o imperialismo global foram expressos por outros camaradas. Por exemplo, um representante da PC da Irlanda condenou a expansão da OTAN em torno da Rússia, também condenou a ocupação israelense da Palestina, e garantiu que continuariam a combater o imperialismo britânico, europeu e americano em suas costas.

Dos partidos que se mostraram céticos em apoiar ações para suprimir o fascismo na Ucrânia. O orador do PC da Áustria disse que eles não escolheram lados na guerra imperialista. Um camarada do PC da Bélgica se pronunciou contra a tese de que os EUA eram os principais imperialistas. Um camarada do Partido Trabalhista belga disse que a UE havia transferido mais de 500 milhões de euros em apoio à guerra na Ucrânia e que os EUA continuavam sendo o inimigo número um, mas imediatamente chamou as ações da Rússia de “anexação de territórios ucranianos”, inaceitável sob o direito internacional.

Representantes da RPC (China), da RDPC (Coréia do Norte) e do Vietnã participaram do processo. Em seus discursos, os camaradas expressaram seu apoio ao povo de Cuba e descreveram os sucessos alcançados na solução dos problemas da construção socialista, mas os camaradas se afastaram de avaliar os acontecimentos na Ucrânia.

Ao final dos discursos dos representantes dos partidos, iniciou-se a etapa para a adoção dos documentos preparados pelo grupo de trabalho. Deve-se notar que nesta fase o Primeiro Secretário do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba, Presidente da República, Camarada Miguel Diaz-Canel Bermudez, participou dos trabalhos. O procedimento para a adoção dos documentos foi bastante democrático e consistiu na vinda ao pódio dos representantes dos partidos comunistas de Cuba, Turquia e África do Sul e na leitura das minutas dos documentos. Então o moderador, descobrindo que não houve comentários, colocou-os à votação. Assim, os rascunhos foram adotados:

Declaração final da XXII Reunião Internacional dos Partidos Comunistas e Operários;

Uma declaração de solidariedade com o povo cubano e Cuba;

Plano de ação e esboço de atividades para o próximo período (2023-2024).

Os novos membros do grupo de trabalho foram aprovados e o local da próxima XXIII reunião foi a Turquia, como proposto pelos camaradas do Partido Comunista da Turquia.

O camarada Miguel Díaz-Canel fez seu discurso de encerramento aos participantes. Ele falou das dificuldades enfrentadas pelo país na construção do socialismo, das maquinações dos inimigos do povo cubano, dos resultados do Congresso do Partido de abril de 2022, e garantiu que o Partido e o povo estavam dando continuidade à revolução cubana. No final do discurso e no encerramento do XXII Encontro Internacional, o salão cantou amigavelmente a “International”. No encerramento do XXII Reunião Internacional dos Partidos Comunistas e dos Trabalhadores, os camaradas de nosso partido presentearam o camarada Miguel Díaz-Canel com um crachá de Lenin.

A delegação da PCTR expressa sua gratidão ao Partido Comunista de Cuba e ao povo cubano pela hospitalidade estendida, pelo trabalho organizacional realizado nas dificuldades que o país está enfrentando devido ao incessante bloqueio dos EUA e às consequências negativas do furacão devastador. Embora os organizadores não tenham conseguido prever tudo, houve algumas asperezas e limitações na reprodução de materiais impressos (declarações, discursos), mas tudo isso foi compensado pelo calor do povo cubano e pela atitude amigável com os participantes por parte dos organizadores da reunião.

Assim, a reunião foi realizada. As posições esclareceram um pouco, mas a situação de confusão e vacilação no movimento comunista internacional permanece. Os eventos na Ucrânia estão levando o mundo ao tumulto. Se o proletariado será capaz de cumprir sua missão histórica também depende de você e de mim.

Informações do Departamento Internacional
COMITÊ CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA RUSSO

Related Posts
BRICS, outra maneira de moldar o mundo
brics

Uma ordem internacional justa e humanista só poderá ser instaurada por povos inconformados com o uso e abuso de sua [...]

Hegemon ordena Europa: aposte na guerra e roube o dinheiro da Rússia
fotos

Sem os BRICS, não há absolutamente nada que o Ocidente coletivo – como o Hegemon e diversos vassalos – possa [...]

Estará uma nova crise dos mísseis cubanos a formar-se na Ucrânia?
fotos

Em 12 de junho, três navios russos e um submarino com propulsão nuclear chegaram a Havana, Cuba. Depois de cruzar o Atlântico, [...]

Uma proposta, uma última chance, um ultimato
combate

Condições de paz recentemente expostas por Putin estabelecem uma nova fase da operação militar especial.

O fim do pacto do petrodólar
fotos

Os EUA persuadiram os sauditas a comercializar o petróleo somente em dólares, o que se tornou parte integrante do comércio [...]

Com relação às propostas de Putin para paz na Ucrânia
fotos

Contra o pano de fundo da "cúpula de paz", isso indicará que, na verdade, é o Ocidente que está prolongando [...]

Compartilhar:

Deixe um comentário

error: Content is protected !!