STF mantém por unanimidade prisão inafiançável de Daniel Silveira

O ministro Alexandre de Moraes ressaltou que Silveira pretendia “criar animosidade entre Forças Armadas e as instituições da República”. Agora, palavra está com o Congresso

preso
Em sessão virtual, plenário do STF mantém deputado bolsonarista Daniel Silveira preso, por ataques à democracia e à Constituição

Por unanimidade e em votação sumária, o plenário do Supremo Tribunal Federal referendou a prisão do deputado bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ), por “práticas criminosas reiteradas”. No relatório, o ministro Alexandre de Morais destacou, por exemplo: na campanha de 2018, “protagonizou episódio lamentável e de repercussão internacional” ao quebrar placa de homenagem à vereadora Marielle Franco (Psol-RJ), assassinada em março daquele ano.

Segundo o relator, o deputado preso demonstrou escárnio pela vereadora, sua morte e à própria homenagem a ela feita pela prefeitura do Rio. A manutenção ou não da prisão do extremista depende agora do Congresso Nacional.

O ministro do STF ordenou a prisão em flagrante do parlamentar na noite de ontem (16). O deputado bolsonarista é alvo de dois inquéritos na corte. Moraes ressaltou que Silveira pretendia, com suas práticas criminosas, vídeos e atitudes, “criar animosidade entre Forças Armadas e as instituições da República”. Lembrou que o preso invadiu o Colégio Pedro II, campus de São Cristóvão, na zona norte do Rio de Janeiro, em 2019, para fazer uma “vistoria” sobre material de “conotação política”, e de lá só saiu com a intervenção da Polícia Federal (PF). Mais recentemente, o criminoso se recusou a usar máscara em um avião, sendo preciso que a PF novamente interviesse e o retirasse da aeronave.

Desacatos

No momento mesmo da prisão, Daniel Silveira continuou postando graves ameaças. “Vou dedicar cada minuto do meu mandato a mostrar quem é Alexandre de Moraes, Fachin, Marco Aurélio Melo, Gilmar Mendes Toffoli, Lewandowski. Vou colocar um por um de vocês em seus devidos lugares. Pelo meu país estou disposto a matar, morrer ou ser preso”, vociferou o criminoso preso em flagrante. Na própria prisão, ele desacatou uma policial civil, aos gritos e ameaças, ao novamente se recusar a usar máscara, conforme relatado por Alexandre de Moraes, além de gravado e postado em redes sociais.

Ao usar a palavra, o ministro Marco Aurélio comentou: “O Congresso Nacional não faltará ao povo brasileiro. Jamais imaginei vivenciar e presenciar o que presenciei, que uma fala pudesse ser tão agressiva e chula no tocante às instituições“.

Antidemocrático

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou prender o deputado Daniel Silveira em flagrante, nesta terça-feira (16). O bolsonarista publicou na internet um vídeo com ataques e ofensas a ministros do Supremo, defendendo o fechamento da Suprema Corte. O parlamentar é alvo de dois inquéritos na Corte. Um apura atos antidemocráticos e o outro, fake news. Moraes é relator dos dois casos.

Fonte: RBA

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + onze =