Bolsonarista que agrediu enfermeiras no DF fez faixa xingando embaixador chinês e pediu intervenção militar no STF

Renan Santos protesta em frente ao STF

Do DCM – O cidadão de bem que agrediu enfermeiras que protestavam em Brasília se chama Renan Sena.

Ele é figura carimbada de protestos reais e virtuais em defesa do “mito” na cidade. Em suas redes sociais, compartilha todo tipo de lixo produzido pelas milícias bolsonaristas.

É evangélico, membro da Igreja Batista Vale do Amanhecer.

Posou com faixas contra a China, nas imediações da embaixada, xingando o presidente Xi Jinping de “son of bitch” (sic) e o embaixador Yang Wanming de “filho da puta”.

Com um amigo chamado Wagner Cunha, foi para a frente do STF fazer uma live pedindo pelo artigo 142 da Constituição, que permitiria a Bolsonaro decretar intervenção militar (é mentira).

Nesta sexta, 1º de maio, ele protagonizou o vídeo que viralizou em que parte para cima de profissionais de saúde que participavam de um ato em frente ao Palácio do Planalto.

Elas usavam máscaras, seguravam crucifixos e mantinham distância umas das outras.

A intenção era reforçar a necessidade de isolamento social.

Visivelmente alterado, Renan chamou uma mulher de “analfabeta” e a segurou. “Põe o dedo para mim”, gritava, desafiando-a.

Foi contido por um colega delas. De avental, elas reclamaram das condições precárias de trabalho.

Rena Santos, como não poderia deixar de ser, se define como “patriota”.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − 8 =