Garota morta após maus-tratos, havia relatado abuso sexual antes de ser liberada para os pais

fotos

Mia Kurihara, que morreu em janeiro depois de uma série de supostas agressões cometidas por seu pai, havia sido liberada da custódia protetora,  apesar de suspeita de ter abusado sexualmente dela, fontes do governo local admitiram na terça-feira.

De acordo com as fontes, a menina de 10 anos disse a autoridades do centro de assistência social durante entrevistas em 2017 que seu pai, Yuichiro Kurihara, a acordou durante a noite e puxou suas calças para baixo.

Kurihara, de 41 anos, já foi indiciado por acusações de agressão depois que sua filha foi encontrada morta no banheiro de sua casa em Noda, na província de Chiba.

Ela disse que sua calcinha também “escorregou”, e que quando ela disse a ele para parar e puxar suas calças, Kurihara havia dito a ela “que se você dissesse algo assim” outros membros da família não acreditariam, de acordo com as fontes.

Durante as entrevistas, que foram realizadas enquanto ela estava em custódia protetora no centro de bem-estar infantil de Kashiwa, a menina também relatou abusos físicos por parte do pai, como ele cobrindo a boca e o nariz com as mãos enquanto ela dormia.

O centro acabou com sua custódia protetora, embora um médico tenha dito que ela havia sido submetida a agressões, além de abuso sexual e sofria de distúrbio de estresse pós-traumático. Os governos nacionais e provinciais estão analisando se a decisão na época era apropriada.

Mia foi levada em custódia protetora no centro em 7 de novembro de 2017, depois que ela relatou em um questionário escolar que seu pai a “agrediu”.

Mas quando ela começou a dizer que queria ir para casa, o centro concluiu que o abuso não era sério. O seu período de proteção terminou a partir de 27 de dezembro daquele ano para que ela pudesse ficar com parentes, e ela foi autorizada a voltar para casa em 28 de fevereiro de 2018.

A mãe de 32 anos da menina, Nagisa Kurihara, também foi acusada de cumplicidade.

O caso revelou uma aparente falta de coordenação entre as autoridades e decisões questionáveis.

As autoridades dos governos locais aparentemente não compartilharam informações sobre a família apesar das alegações de abuso, e uma junta de educação local forneceu uma cópia da queixa de Mia a seu pai. As autoridades de assistência social também não conseguiram verificar a segurança da menina depois que sua custódia protetora terminou.

Fonte: Japan Times

Related Posts
Invasão da embaixada mexicana no Equador: Colapso do direito internacional
fotos

O mundo acompanhou com espanto conforme a polícia equatoriana de Quito invadia a Embaixada Mexicana no país para cumprir um [...]

Um “inimigo comum” coletivo agora persegue a humanidade
fotos

Os assassinos em série psicopatas, utilizando os seus vastos recursos financeiros, políticos e mediáticos, estão inexoravelmente a pôr em prática [...]

Como se desenvolve o mercado da eutanásia no Ocidente
fotos

Entre as medidas práticas para controlar os níveis populacionais no Ocidente, a ideia da eutanásia é ativamente promovida. O trabalho [...]

O Ocidente insiste em tentar inventar um novo “caso Guaidó”
fotos

Talvez achar que a insistência possa compensar a falta de competência, já que corporações midiáticas, ONGs e governos atlantistas decidiram [...]

A OTAN está a perder a guerra por procuração contra a Rússia
fotos

Uma derrota de Washington e dos seus parceiros da NATO na Ucrânia seria um desastre político para as potências ocidentais. [...]

Um ultimato ultraortodoxo e o futuro do estado “judeu”
fotos

O cisma cada vez maior entre as comunidades seculares e ultraortodoxas de Israel tem impacto não só no bem-estar militar [...]

Compartilhar:

Deixe um comentário

error: Content is protected !!