Lançada há mais de 40 anos, a nave espacial Voyager-1 é o primeiro objeto feito pelo homem a sair do sistema solar

Há quase quarenta dois anos atrás (05/09/1977), quando o mundo estava começando a se aprofundar no estudo do espaço exterior, a sonda espacial Voyager-1 saiu do planeta Terra em direção ao espaço cósmico.

É incrível perceber como o mundo mudou, enquanto a Voyager 1 continuou seu voo estável e uniforme. Vários os governantes mudaram à frente dos países, guerras e revoluções começaram e terminaram, e o aparato continua voando sem parar. Embora inicialmente os cientistas previssem que a missão da nave teria apenas cinco anos de duração. De acordo com os planos iniciais, a “Voyager 1” deveria voar até Júpiter e Saturno, e então simplesmente parar de se comunicar com o nosso planeta.

A distância entre a nave e a Terra agora excede vinte bilhões de quilômetros. É muito difícil para uma pessoa comum imaginar tais números, mas, por exemplo, se você voar de Moscou para Nova York três milhões de vezes, você terá o mesmo número de quilômetros. E a velocidade do “Voyager-1” é de aproximadamente 60 mil quilômetros por hora, ou seja, o aparelho voaria de Moscou para Nova York em apenas 8 minutos!

A espaçonave “Voyager-1” é a primeira nave na Terra a voar para longe do sistema solar. Esse fato aconteceu em agosto de 2012. Os pesquisadores conseguiram contornar a ausência quase completa da influência do Sol sobre o aparato. Agora é a influência de outros corpos siderais (estrelas da Via Láctea) sobre  a Voyager-1 que está suprindo com energia.

Hoje, qualquer um pode ver a localização da nave em um aplicativo especial da NASA, já que a conexão com o nave não foi perdida e é constantemente monitorada por cientistas. Demora mais de dezenove horas para o sinal enviado da Terra chegar a Voyager-1! E com o aumento da distância entre o planeta e o nave, o tempo de comunicação também aumenta.

Existem apenas dois instrumentos na nave – um magnetômetro e um detector de partículas e raios em funcionamento. Devido a razões desconhecidas, todos os outros equipamentos foram desconectados ou quebrados.

Em 1990, recebemos as últimas fotos do nave. Entre eles está uma fotografia muito popular da Terra, que é chamada de “mancha azul pálida”. Nosso planeta foi fotografado de uma distância de 6 bilhões de quilômetros com uma câmera muito poderosa.

Fato interessante: a Voyager 1 não está voando sozinha. Um grande disco de ouro está preso ao corpo, no qual há mensagens para alienígenas. Saudações em 50 idiomas de todo o mundo estão gravadas no disco. Além disso, há gravação de algumas obras de música clássica e os sons da natureza. Também há fotos de pessoas, fórmulas matemáticas e sinais importantes. Talvez um dia os seres alienígenas possam ouvir e ver os momentos mais importantes da vida da Terra.

 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − 9 =