Líderes mundiais rejeitam o relatório de Bachelet sobre a Venezuela.

fotos

Representantes da Rússia, China, Turquia, Belarus, Mianmar, Irã, Cuba, Nicarágua e Bolívia, bem como membros da Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América (ALBA – TCP), repudiaram no Conselho de Direitos Humanos (HR ) da Organização das Nações Unidas (ONU) o relatório apresentado pelo Alto Comissariado, Michelle Bachelet na quinta-feira.

No âmbito da 41ª sessão do Conselho de Direitos Humanos, a representante da ALBA-TCP, Lisandra Astiasaran, assinalou que este relatório representa uma campanha para desestabilizar o processo democrático que o país vive, para o qual exortou os membros da organização internacional « para defender a paz, justiça e igualdade soberana “, diz um comunicado de imprensa do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Neste ponto, a representante da Nicarágua, Elvieelna Diaz, também concordou, que – além disso – instou a ONU a condenar as medidas unilaterais e ilegais impostas pelos Estados Unidos (EUA), e que não são evidentes no relatório de Bachelet.

Neste sentido, Díaz destacou que as sanções da EUA contra a Venezuela têm um impacto negativo na promoção e proteção dos direitos humanos, bem como um ataque à estabilidade do país.

Da mesma forma, o representante da Bolívia, Olmer Torrejón, rejeitou o bloqueio econômico e financeiro dos EUA, que gerou milhões em perdas e a impossibilidade de adquirir suprimentos médicos e alimentos para atender às necessidades do povo venezuelano.

Nesta quinta-feira, o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos publicou o relatório do organismo internacional, após a visita de Bachelet à Venezuela em junho passado, durante a qual ele se reuniu com membros do Governo Nacional e com setores. da direita venezuelana.

Após a publicação deste relatório, o governo da República Bolivariana da Venezuela apresentou um total de 70 observações sobre o documento preparado por Bachelet, que apresenta uma visão seletiva e tendenciosa da verdadeira situação dos direitos humanos no país.

O Governo Nacional “solicitou ao Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas que tomasse as medidas necessárias para corrigir os erros no relatório A / HRC / 41/18 através de um documento em que erros de fato são expostos.

Entre as observações feitas pela diplomacia venezuelana, afirma-se que o relatório enviado em 28 de junho de 2019 ao governo bolivariano, em inglês, apresenta uma visão seletiva e parcial sobre a real situação dos direitos humanos no país sul-americano.

Do El Caminante

Related Posts
Sobre Israel e estupro
fotos

As duvidosas alegações de violação de Tel Aviv contra o Hamas escondem a chocante crise de violência sexual doméstica de [...]

Invasão da embaixada mexicana no Equador: Colapso do direito internacional
fotos

O mundo acompanhou com espanto conforme a polícia equatoriana de Quito invadia a Embaixada Mexicana no país para cumprir um [...]

Um “inimigo comum” coletivo agora persegue a humanidade
fotos

Os assassinos em série psicopatas, utilizando os seus vastos recursos financeiros, políticos e mediáticos, estão inexoravelmente a pôr em prática [...]

Como se desenvolve o mercado da eutanásia no Ocidente
fotos

Entre as medidas práticas para controlar os níveis populacionais no Ocidente, a ideia da eutanásia é ativamente promovida. O trabalho [...]

O Ocidente insiste em tentar inventar um novo “caso Guaidó”
fotos

Talvez achar que a insistência possa compensar a falta de competência, já que corporações midiáticas, ONGs e governos atlantistas decidiram [...]

A OTAN está a perder a guerra por procuração contra a Rússia
fotos

Uma derrota de Washington e dos seus parceiros da NATO na Ucrânia seria um desastre político para as potências ocidentais. [...]

Compartilhar:

Deixe um comentário

error: Content is protected !!