Mito Medieval: Todas as Mulheres Bruxas

As pessoas sempre acreditavam em poder sobrenatural e mágico, inventando novas criaturas e monstros. Desde os tempos antigos, a bruxa recebeu uma grande e péssima imagem, o auge de sua popularidade veio na Idade Média. Mas o diabo é tão assustador quanto pintado?

Curiosamente, de acordo com várias fontes, a bruxa é representada fundamentalmente em imagens diferentes. Algumas  descrevem a bruxa como uma mulher jovem e bonita, com um olhar sedutor e corpo diáfano. Outras fontes representam uma bruxa na forma de uma velha malvada que vive em uma floresta escura em um pântano. As duas imagens são completamente diferentes, mas o que as une é que a bruxa é uma fêmea.

Então, por que exatamente a mulher se tornou a “vítima” do mito popular da Idade Média? Há uma suposição de que se originou no passado distante. A mulher foi infringida em seus direitos e liberdades, tendo um papel secundário na sociedade. O belo sexo não era permitido acesso ao poder e aos assuntos do governo, sua opinião não era levada em consideração. A mulher recebeu uma espécie de estigma que permitiu que ela fosse suspeita de feitiçaria e atos sombrios.

Da ignorância e da informação limitada, era mais fácil culpar alguém pelos problemas e infortúnios do que descobrir por que isso aconteceu. Acontece que a imagem mulher foi manipulada com sucesso em que assume o papel do culpado dos males humanos. Além disso, a era medieval tornou-se famosa pelo catolicismo e pela perseguição de qualquer tipo de feitiçaria. Dada a psicologia humana, misturada com visões religiosas, fica claro por que a mulher foi submetida a perseguição e inquisição. Afinal, foi na Idade Média que a igreja e a religião formaram a base do Estado e tiveram uma grande influência.

Devido aos numerosos infortúnios em relação as guerra, era benéfico para o governo “colocar” a culpa nas bruxas, a fim de evitar a agitação popular e revoltas. Assim, o principal mito da era medieval parecia que a bruxa estava escondida sob a máscara do rosto de uma mulher.

As pessoas criavam um medo supersticioso, então a vigilância da população cresceu, e as suspeitas recaíram sobre todas as outras mulheres. Por exemplo, de um vento forte, uma árvore caiu no telhado de uma casa – a vizinha era a culpada; o marido deixou a família para ficar com a outra- foi a mulher que fez a poção do amor; a fazenda estava com a plantação atacada por doença – a velha que estava com ciúmes e causou danos.

Com o desenvolvimento da ciência e da medicina, a busca por bruxas tornou-se menos relevante, a maioria dos eventos “mágicos” poderia ser explicada do ponto de vista científico. Gradualmente, as pessoas começaram a mudar sua visão de mundo sobre as forças sobrenaturais. Mas mesmo em uma sociedade civilizada no século 21 continua a acreditar na existência de bruxas e outras criaturas mágicas. Quem sabe Afinal, não há fumaça sem fogo …

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − dois =