O colapso no sistema de saúde eleva o drama da pandemia em Manaus

Sem oxigênio nos hospitais, médicos são obrigados a recorrer a ventilação manual em pacientes de covid-19. A principal fornecedora do governo do Amazonas, anunciou na quinta-feira (14) que tenta importar oxigênio da Venezuela para suprir a demanda do estado

oxigênio
(Foto: Sandro Pereira/FotoArena/Estadão Contéudo/14/01/2021)

O colapso no sistema de saúde em Manaus causada pela pandemia do novo coronavírus criou um cenário de caos e desespero nos hospitais da cidade devido à ausência de oxigênio para atender pacientes internados com covid-19, e há relatos de pessoas com infecção respiratória que morreram por sua falta.

Profissionais de saúde também tiveram que se revezar a cada 20 minutos para fazer ventilação manual com um equipamento conhecido como ambu ou BVM (bolsa válvula máscara). Sociedades médicas não recomendam o uso da técnica em pacientes com covid-19 devido ao alto risco de contaminação da própria equipe médica.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, viajou à capital do Amazonas na segunda-feira (11) para anunciar medidas de apoio ao estado. No mesmo dia, o governador Wilson Lima (PSC) classificou a situação dos hospitais como “dramática” e pediu auxílio do governo federal para o fornecimento de oxigênio. O apoio anunciado pelo ministro, porém, não conseguiu evitar que hospitais registrassem falta de oxigênio na quinta-feira (14).

As empresas que fornecem oxigênio para os hospitais do estado têm uma capacidade de produção diária de 28,2 mil metros cúbicos por dia, mas a demanda, com o aumento dos casos de covid-19, chegou a 76 mil. A empresa White Martins, principal fornecedora do governo do Amazonas, anunciou na quinta-feira (14) que tenta importar oxigênio da Venezuela para suprir a demanda do estado.

Aumento do número de mortes

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), por meio do Boletim Diário de Covid-19, edição de nº 286, traz o diagnóstico de 3.816 novos casos de Covid-19, totalizando 223.360 casos da doença no Estado.

Segundo o boletim, foram confirmados 51 óbitos por Covid-19, sendo 44 ocorridos no dia 13 deste mês e 7 óbitos foram encerrados por critérios clínicos, de imagem, clínico-epidemiológico ou laboratorial, elevando para 5.930 o total de mortes.

Na capital, de acordo com dados da Prefeitura de Manaus, nesta quarta-feira (13/01), foram registrados 87 sepultamentos por Covid-19. O boletim acrescenta ainda que 28.204 pessoas com diagnóstico de Covid-19 estão sendo acompanhadas pelas secretarias municipais de saúde, o que corresponde a 12,63% dos casos confirmados ativos.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 2 =