O plano quinquenal chinês: um curso para a construção de uma superpotência tecnológica

China

Nos próximos cinco anos (2021-2025), a China financiará pesquisas em alta tecnologia em um ritmo acelerado e se concentrará na produção de novos aparelhos utilizando materiais baseados em terras raras, trens de alta velocidade e muitas outras coisas.

Falar sobre uma superpotência tecnológica é talvez a principal conclusão que o mundo exterior deve tirar da ” sessão dupla ” – uma reunião da composição completa do parlamento chinês, mais toda a liderança, totalizando cinco mil pessoas. Esse evento geralmente ocorre na primavera e resolve questões estratégicas, enquanto o trabalho legislativo de rotina ocorre normalmente e durante todo o ano.

Nesse caso, estamos falando da estratégia para os próximos cinco anos. A história aqui é a seguinte: em 2018, a guerra econômica dos EUA contra a China começou e, em 2020, uma pandemia viral e medidas impensáveis ​​para combatê-la foram executadas na RPC, que no final das contas desferiu um forte golpe, em primeiro lugar, no grupo de estados Ocidentais, e só então para todos os demais. Como resultado, ocorreu uma coincidência temporária acidental – foi no início de 2021 que era lógico esperar alguma nova estratégia para o movimento futuro da China como uma das duas maiores economias do mundo. E então o plano quinquenal anterior estava prestes a expirar.

Nada de fundamentalmente novo aconteceu na atual “sessão dupla”, precisamente porque as ideias para o período de cinco anos amadureceram longa e gradualmente. Este é principalmente o conceito de “dupla circulação” baseado na “circulação” interna, ou seja, chegou a hora (e, mais importante, surgiu a oportunidade) de a economia chinesa depender não de exportações e importações, mas sim do mercado interno – e só então contar com alguns, ou seja, a cooperação com parceiros externos. Mas também era importante que, em seu ataque à China, a América de Trump não pudesse esconder o principal motivo de seu pânico – a liderança tecnológica revelada do Império Celestial e a perspectiva de perda dessa liderança pelos Estados Unidos. Como resultado, as ideias gerais do próximo plano de cinco anos tiveram a chance de um amadurecimento longo e tranquilo.

Uma característica fundamental do planejamento atual de Pequim é que os indicadores quantitativos (crescimento do PIB) finalmente deixaram de ter importância, assim como a data em que o PIB da China ultrapassará o americano. Pela primeira vez na história dos planos quinquenais, não se definem os parâmetros desse próprio crescimento do PIB, tudo é limitado pela ideia geral de que o crescimento não deve ser muito inferior a 6% ao ano.

Além disso, esses números costumam aparecer mais nas conversas dos economistas do que nos documentos vinculativos. Mas em termos de gastos com pesquisa científica e técnica, tudo é muito mais claro: eles devem ultrapassar o crescimento geral da economia e ser de pelo menos 7%.

A lista de indústrias prioritárias mostra apenas no que a China se tornou um líder mundial hoje. Outras indústrias promissoras surgirão ao longo do caminho. Observe que a página chamada “5G” já foi virada – a maioria desses sistemas em implantação em todo o mundo já está sendo construída pelos chineses, e no próprio país a depuração de um sistema unificado já está sendo concluída.

Outra característica do pensamento de Pequim é a cautela em termos de finanças. Não haverá pacotes “ambiciosos”, a ênfase será na redução da dívida do orçamento e das empresas, bem como na contenção dos financiadores que inventem novas formas de conceder novos empréstimos a alguém.

A mídia chinesa está monitorando de perto a reação internacional ao que está acontecendo. Economistas são citados – desde o famoso Jeffrey Sachs (ele agora é professor da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos) a Boga Thura Manatsha, professor da Universidade de Botswana. A reação desses e de outros observadores é a mesma – eles estão interessados ​​em como a China ajudará nos próximos anos não apenas em uma saída comum do pogrom pandêmico, mas também na criação do mundo de amanhã. As estimativas digitais são as seguintes: nos próximos cinco a dez anos, a China vai gerar 25-30% do crescimento global total. O que o torna um país muito valioso e necessário para muitos parceiros em todo o mundo.

Se estamos falando de um país como a China, então seu futuro econômico é uma questão de como será o mundo de amanhã. Mas e a grande política? A impressão geral é a seguinte: o curso das reuniões de Pequim não mostra de forma alguma que estamos falando de um “campo sitiado”, que há muitos anos está sujeito a qualquer tipo de bombardeio. Por exemplo, os discursos pareciam ideias de que é necessário um pacote de leis que abordasse sistematicamente a questão de todos os tipos de sanções, setoriais ou pessoais. Mas a questão é que essas leis devem ser preparadas lentamente dentro de um ano e adotadas na próxima “sessão dupla” em 2022.

Além disso, o segundo plano trouxe lições da fracassada “revolução colorida” em Hong Kong. Esta também é uma questão legal – estamos falando sobre traduzir para a linguagem das leis a ideia amadurecida de que um membro do parlamento local deve ser um patriota, não um separatista. Mas esses projetos ainda não adquiriram clareza e, de fato, geralmente se referem a questões locais, que foram muito ouvidas nas sessões.

E, como em qualquer parlamento, não faltaram iniciativas exóticas que estavam fadadas a ser populares com o eleitor. Trata-se da proposta de instituir o Dia do Professor no dia 28 de setembro – data de nascimento de Confúcio. A propósito, esta é uma boa ideia que pode ser emprestada. No final das contas, se não fosse pelos pensamentos do grande filósofo que sobreviveu 2,5 mil anos, a China dificilmente teria se tornado um país de cujos planos estamos agora tentando imaginar o nosso próprio futuro.

Related Posts
A UE no fio da navalha
fotos

E segue-o sem honra nem glória num inevitável declínio da economia à cultura. Nem algo diferente era de esperar. Aquilo [...]

Postura Hipócrita sobre a Guerra de Gaza
fotos

Os Estados Unidos vetaram mais uma resolução no Conselho de Segurança das Nações Unidas que pedia um cessar-fogo imediato em [...]

O Eixo da Assimetria assume a ‘ordem baseada em regras’
fotos

A Terceira Guerra Mundial está aqui, desenrolando-se de forma assimétrica em campos de batalha militares, financeiros e institucionais, e a [...]

Vídeo do canal turco TRTWORLD: Como Israel bombardeia áreas povoadas
fotos

Vídeo de um canal turco mostra como as forças israelense exterminam sistematicamente o povo palastino. Não há onde se esconder, [...]

Ele lutou pela nossa liberdade. As audiências finais sobre a extradição de Julian Assange para os EUA foram concluídas
fotos

O Supremo Tribunal de Londres concluiu as audiências sobre o apelo do fundador do WikiLeaks, Julian Assange, de 52 anos, [...]

Scholz e Lackeys cavam sepultura para a Alemanha
fotos

A imagem que mostra o Chanceler Olaf Scholz com uma pá na mão a cavar alegremente a terra diz muito [...]

Compartilhar:

Deixe um comentário

error: Content is protected !!