O que há por trás do projeto “escola sem partido”?

Charles Darwin e o Homem de Neandertal

Para responder esta pergunta é preciso analisar dois aspectos contido neste projeto de escola sem partido, o primeiro é político e o segundo é religioso.

No aspecto político, visa reprimir o movimento dos professores, pois é sabido que toda ditadura tende a reprimir os movimentos sociais, sindicatos e associações.

O segundo é ideológico no campo religioso. O fundamentalismo religioso pretende impor dentro das escolas o ensino do criacionismo em confronto com a teoria da evolução e outras ideias contidas dentro da bíblia em em particular na Gênesis. Para esses defensores da escola sem partido, a convicção dos pais tem primazia sobre o exercício de docência dos professores.

Então tá! Se um pai ou a mãe do um aluno acreditar que a Terra é plana ou o Sol gira em torno da Terra, o professor não poderá ensinar através do conhecimento adquirido e consagrado pela ciência? Esse movimento “escola sem partido” é importado, e tem como base o fundamentalismo cristão do EUA.

Evolução x Criacionismo

Para contrapor essas ideias retrogradas é preciso recorrer a ciência para ver qual lado está a razão, mesmo porque a igreja católica deixou a muito tempo o criacionismo de lado. Atualmente para igreja Católica, Adão e Eva é apenas uma alegoria.

Polêmicas à parte, para resolver esta questão irei recorrer aos estudos atuais do genoma humano, mais especificamente ao DNA mitocondrial.

DNA mitocondrial (mtDNA) é um composto orgânico presente nas mitocôndrias, e passado maioritariamente de mãe para o filho(a) na grande maioria dos organismos multicelulares. Isto ocorre porque durante a fecundação as mitocôndrias contido no espermatozoide são inutilizados, restando somente as mitocôndrias do óvulo. A partir disto, todas as células do novo ser em formação terão apenas a carga genética herdada da mãe.

A partir deste estudo vem o conceito de “Eva mitocondrial” convém não confundir com Eva bíblica como exposto mais abaixo.

O conceito da Eva mitocondrial baseia-se em tipo de análise, na tentativa de descobrir a origem da humanidade, acompanhando a linhagem de volta no tempo. Tendo como base o número de mutações que foram acumuladas em diferentes ramos da árvore genealógica materna, e verificando quais regiões geográficas têm a maior amplitude de ramos menos relacionados, é possível delinear a região onde a Eva vivia. De novo faço a ressalva que em se tratando da genética humana, o nome de Eva mitocondrial refere-se a linha matrilinear (materna) ancestral comum mais recente de todos os seres humanos que vivem atualmente com estimativa de 100 e 200 mil anos atrás. Portanto, ela é nossa ancestral comum mais recente (do inglês, most recent common ancestor, ou MRCA).

A teoria da Eva Mitocondrial ao utilizar de um nome “figurativo” devido à sua referência para a primeira mulher no livro bíblico de Gênesis acaba por sua vez levando uma certa confusão e disso se aproveita certos grupos propagadores da pseudociência, como os literalistas do livro de gêneses, os chamados criacionistas da Terra jovem, que viram na teoria da Eva uma validação do relato bíblico da criação. Mas isto não é verdade!

É um equívoco a respeito da  eva mitocondrial acreditar que todas as mulheres vivas hoje descendem de uma linha ininterrupta direta, e que ela deve ter sido a única mulher viva na época. Essa argumentação criacionista está errada. Estudos com DNA nuclear indicam que o tamanho da antiga população humana nunca ficou abaixo de dezenas de milhares.

Aqui é preciso abrir um parêntesis, outras mulheres viveram ao mesmo tempo da “Eva mitocondrial” e têm descendentes vivos até hoje. Só que em algum momento do passado “elas” não tiveram prole fêmeas (não reproduziram ou tiveram filhos homens) e portanto não puderam transmitir seu DNA mitocondrial ou seja, quebrou  deste modo as linhas diretas com o DNAmit. Em todo o caso essas mulheres mesmo gerando prole masculina, seu DNA nuclear foi transmitido de geração em geração até os nossos dias.

Imagem Eurekabrasil

 

Sendo assim, o nome do método não tem absolutamente nada a ver com a proposta bíblica, que trata Eva como uma mulher que Deus fez como parte do primeiro casal ancestral de seres humanos. Mesmo porque, a descendência de toda uma espécie a partir de um único casal fere leis e princípios básicos da genética.

Para que qualquer espécie possa sobreviver até os dias atuais, é preciso ter variedade genética caso contrário a espécie entrará em extinção.

Note, que o método com o uso do DNAmit trata de uma população ancestral e não se refere a origem da humanidade a partir de um casal; a datação da linha ancestral não corrobora o relato bíblico e ela trata da origem do Homo sapiens, de fato, ela abarca até hominídeos que também fazem parte da história da humanidade, uma vez que taxonomicamente somos considerados ainda hominídeos.

A idade da Terra

Segundo a geologia a idade do planeta Terra é de 4,54 bilhões de anos, porém de acordo com os estudiosos textos bíblicos a Terra tem 6000 anos desde o momento da criação. Somente segundo estudos arqueológicos a cidade de Jericó é mais antiga e tem aproximadamente 9,5 mil anos! Penso que não será necessário estender em explicação, mas que estiver interesse como é datado fósseis e outros objetos veja o artigo sobre datação por carbono 14.

Heliocentrismo x Geocentrismo

Giordano Bruno seguidor das ideias de Copérnico foi parar na fogueira por afirmar que a terra girava em torno do sol, ao contrário do que afirmava a igreja Católica. Apesar disso, há ainda defensores da ideia de que a Terra é o centro do Universo porque conforme a bíblia a Terra é Centro da Criação.

Teoria da Terra Plana

Fernão de Magalhães

Em 1519, Fernão de Magalhães inicia a viagem de circum-navegação porém não chegou a completar a viagem, tendo morrido em 1521 nas Filipinas. Porém a viagem em volta da Terra só foi completada em 1521 pelo comandante Juan Sebastián Elcano.

Infelizmente ainda há muitos malucos, que apesar dos grandes avanços tecnológicos e satélites artificiais disponíveis, acreditam que a Terra é plana!

Mapa da expedição de Magalhães

Caso houver a mínima possibilidade de um projeto como esse de “Escola sem Partido” passar vigorar, a escola e a sociedade como um todo estaria a mercê de fanáticos, estaremos regredindo na idade das trevas! A escola sem partido, seria uma escola sem Ciência, sem História e sem Conhecimento.  Os professores que não seguissem essa lei maluca, assim como Giordano Bruno e também milhares de mulheres que na Idade Média por serem inteligentes e independentes despertaram medo e inveja nos poderosos, acabariam na fogueira.

Giordano Bruno e uma mulher na fogueira

Os pais ou qualquer pessoa podem acreditar em tudo que quiser mas não pode querer impor suas convicções religiosas a força nas escolas ou para toda a sociedade, a liberdade de pensamento e de expressão são conquistas da sociedade moderna que foram adquirida através de muita luta e muito sangue derramado para serem desperdiçado!

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito − sete =