Participar ou não participar eis a questão!

pró democracia

As manifestações convocadas para domingo trás o seguinte dilema: Se houver baixa adesão ao movimento de Luta pela Democracia, pode ser um sinal claro para Bolsonaro e sua turba de fascistas para avançar o sinal na empreitada de dar o golpe, por inércia dos movimentos pró-democracia e anti-fascismo.

Mas se houver uma grande adesão, é possível que provocadores profissionais infiltrados possa criar situações que justifiquem ação violenta da polícia.

Participar ou não participar, apesar da pandemia e do risco de ações transloucadas dos bolsonaristas, é um dilema que está na cabeça das lideranças das esquerdas.

Lula pesou todos os riscos, e junto de Guilherme Boulos do MTST, estará apoiando o movimento junto com as torcidas de futebol e grupos antifascistas

Penso que esta é a estratégia correta neste momento, mesmo porque, foi divulgado pelo anonymous certos movimentos preocupantes por parte do governo. Uma das postagens chama a atenção ao informar que uma grande quantidade de soldados do Exército Brasileiro estão sendo convocados pelo governo federal para trabalhar no domingo, justamente no dia do protesto.

Outra fato que também chama atenção é o fato de que o site do governo sobre o covid-19 foi tirado do ar, e também a tentativa de esconder os números de mortos, divulgando os números após o horário de maior audiência para não ser noticiado pelos telejornais.

Não resta dúvida, Bolsonaro quer silenciar a oposição através da censura e da violência para poder implantar a ditadura milico-miliciana.

Para a esquerda não há opção, mesmo porque quem viveu o período que antecedeu o golpe de 64, havia vários sinais que aquilo ia acontecer, e a esquerda ficou a observar as marchas com deus e pela família sem partir para o confronto.

A história nos mostra que para grandes mudanças é preciso enfrentar os inimigos de classe. As grandes transformações sociais não foi feita em casa, o povo foi as ruas para derrubar as muralhas da Bastilha e para fazer a Revolução Russa.

As forças armadas brasileiras contam aproximadamente 220.000 integrantes, são fortes mas não são o bastante para enfrentar milhões de cidadãos.  É hora para as esquerdas mostrarem pra que veio, não é hora de recuar!

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × quatro =