PF faz buscas e apreensões em seis Estados no inquérito sobre atos golpistas

A Polícia Federal cumpre na manhã desta 3ª feira (16) mandados de busca e apreensão. As medidas foram solicitadas pela PGR (Procuradoria Geral da República) e autorizadas pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), no inquérito que apura a organização e financiamento de atos contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal federal

bombadões
Reprodução

No total são cumpridos 21 mandados de busca e apreensão em 6 unidades da Federação: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Maranhão, Santa Catarina e no Distrito Federal.

As medidas decorrem das investigações de inquérito aberto em 21 de abril por decisão de Alexandre de Moraes atendendo a pedido feito no dia anterior pela PGR. Na ocasião, o procurador-geral da República, Augusto Aras, apontou a necessidade de “apurar fatos em tese delituosos envolvendo a organização de atos contra o regime da democracia participativa brasileira, por vários cidadãos, inclusive deputados federais“.

O pedido de abertura do inquérito se deu no dia seguinte à participação do presidente Jair Bolsonaro em protesto em frente ao Quartel-General do Exército, em Brasília, onde manifestantes defenderam pautas como o fechamento do Congresso e do STF. O Cidadania chegou a pedir a Aras que incluísse o presidente no rol de investigados (eis a íntegra do pedido). A lista de alvos do inquérito é mantida sob sigilo.

O cumprimento dos mandados da operação Lume, nesta 3ª feira (16), ocorre depois que bolsonaristas simularam bombardeio à sede do Supremo com fogos de artifício, no último sábado (13).

De acordo com a PGR, uma linha de apuração é que os investigados teriam agido articuladamente com agentes públicos que detêm prerrogativa de foro no STF para financiar e promover atos que se enquadram em práticas tipificadas como crime pela Lei de Segurança Nacional (Lei 7.170/1983).

ALVOS DOS MANDATOS

No Twitter, o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), aliado do presidente Jair Bolsonaro, disse que foi 1 dos alvos da operação. Segundo ele, a Polícia Federal estava em seu apartamento.

“Estou de fato incomodando algumas esferas do velho poder”, afirmou. “E cada dia estarei mais firme nessa guerra!”, completou.

Eis alguns dos alvos da operação desta terça:

Luís Felipe Belmonte: empresário, advogado e um dos principais financiadores e organizadores do Aliança, partido que Bolsonaro pretende criar. É o primeiro suplente do senador Izalci Lucas (PSDB-DF). Também é dono de um time de futebol em Brasília

Sérgio Lima: publicitário que atua com Bolsonaro na construção do Aliança. Segundo o jornal “O Globo”, ele foi o responsável pelo logotipo, pelo site e pelo aplicativo de coleta de assinaturas da legenda

Daniel Silveira (PSL-RJ): deputado federal ultrabolsonarista

Allan Santos: blogueiro bolsonarista do “Terça Livre”

Alberto Silva: também é blogueiro ligado a Bolsonaro e atua no canal “Giro de Notícias”

Adilson Dini: youtuber bolsonarista do canal Ravox Brasil. Os policiais fizeram busca em seu endereço em Poços de Caldas (MG)

Otavio Fakhoury: investidor do setor imobiliário, um dos fundadores do Aliança e colaborador do site bolsonarista “Crítica Nacional”.

Camila Abdo: militante bolsonarista nas redes

Marcelo Frazão: tem um canal no Youtube em que posta vídeos a favor do governo

Ernani Fernandes Barbosa Neto: responsável por páginas de perfil conservador na internet

Thais Raposo do Amaral Pinto Chaves: responsável, junto a Ernani Fernandes, de páginas de perfil conservador com mensagens bolsonaristas

Valter Cesar Silva Oliveira: tem um canal no Youtube onde defende, por exemplo, a intervenção militar

Roberto Boni: atua no “Canal Universo”, na internet

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + 17 =